‘A Mentira Como Combustível’ explica alta dos preços dos combsutíveis #economia

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


São Paulo – O documentário Lie as Fuel é uma mostra didática sobre o impacto da alta dos combustíveis na vida dos brasileiros. O filme quebra a política de preços da Petrobras e desconstrói as mentiras do governo Jair Bolsonaro para justificar a facada aos consumidores. Dessa forma, retrata o drama dos trabalhadores que dependem da gasolina e do gás de cozinha para viver, imposta pela política de desmantelamento da mais importante empresa pública brasileira. O curta pode ser conferido abaixo, no canal da TVT no YouTube. Mas quem preferir ver na tela da televisão poderá sintonizar o canal digital 44.1 da emissora às 19h45 desta terça-feira (28).

A produção é uma iniciativa da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e da Associação Nacional dos Acionistas Minoritários da Petrobrás (Anapetro). E traça a relação entre o empobrecimento do trabalhador e a alta dos preços. Ao abastecer o carro com 35 litros de gasolina, o motorista brasileiro compromete 25% do salário mínimo. Em países como Estados Unidos, Itália e Argentina, esse percentual fica entre 3% e 6,2%.

O coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, afirma que o documentário cumpre o papel de explicar como o governo Bolsonaro é o maior responsável pela alta dos preços. Segundo Bacelar, o presidente da República mente dizendo que a culpa é dos governadores por conta do ICMS. Mas também afirmando que a Petrobras “é um problema para o Brasil”.

“A política de paridade faz com que os valores da gasolina, diesel e gás de cozinha mudem a cada duas semanas aqui no Brasil. Enquanto importadores se instalam no país, eles trazem derivados do exterior, porque as refinarias da Petrobras estão sendo subutilizadas ”, explica a dirigente sindical à jornalista Adriana Maria, do jornal TVT – em um artigo que você pode assistir aqui.

Desafios para o futuro

O documentário traz o cotidiano dos caminhantes. E ainda, como o preço da gasolina prejudica quem trabalha como motorista para aplicações e não pode mais comprar o carro. “Pude pagar o aluguel do carro, consegui mantê-lo com combustível e com toda a manutenção e ganhei uma quantia razoavelmente boa. Hoje não ”, lamenta a piloto Francisca Pereira, que há três anos corria com um veículo alugado.

Desde 2020, a FUP desenvolve ações de distribuição de gás a um preço justo nas comunidades e periferias do país. Deyvid Bacelar relata que, nesses momentos, os petroleiros explicam às pessoas por que o gás de cozinha podia ser vendido por R $ 50. “Não há justificativa para termos uma empresa que tem mais de dois terços de todos os seus custos em reais, mas existe a dolarização dos combustíveis no Brasil”, afirma.

O coordenador da FUP afirma que há muitos desafios pela frente para os próximos anos, entre eles a retomada da Petrobras. “Será necessário que tenhamos um processo de renacionalização do que foi ilegalmente privatizado pelos governos Temer e Bolsonaro, para que o Estado brasileiro tenha em mãos esses instrumentos, voltados para o desenvolvimento econômico e social do nosso país. Além disso, essa política de preços precisa ser alterada ”, concluiu.


.

Deixe uma resposta