» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.

O Banco Central informou nesta quinta-feira (30) que houve vazamento nas chaves do PIX, sistema de pagamento instantâneo, que estavam sob custódia e responsabilidade do Banco Estadual de Sergipe (Banese).

De acordo com a autarquia, o vazamento ocorreu por causa de “falhas pontuais nos sistemas da instituição financeira e envolvendo informações de caráter cadastral, que não permitem a movimentação de recursos nem o acesso a contas “.

“Não havia dados sensíveis, como senhas, informações sobre transações ou saldos financeiros em contas transacionais, ou qualquer outra informação sob sigilo bancário”, afirmou o BC, em nota.

A autoridade monetária acrescentou que vai apurar o ocorrido e aplicar as medidas sancionatórias previstas no regulamento.

Banco Central anuncia medidas para tornar o PIX mais seguro

As pessoas atingidas pelo vazamento, segundo o BC, serão notificadas exclusivamente por meio do aplicativo do banco. “Nem o BC nem as instituições participantes usarão qualquer outro meio de comunicação com os usuários afetados, como aplicativos de mensagens, ligações, SMS ou e-mail”, alertou a autarquia.

Em nota, o Banese afirmou que a sua área técnica detectou “consultas inadequadas” a dados relativos a 395.009 chaves PIX de pessoas que não são clientes do banco. Esta consulta, segundo o banco, baseou-se no acesso a duas contas bancárias de clientes do Banese, provavelmente através da phishing (ação fraudulenta para obter informações confidenciais de pessoas).

O banco reiterou que o vazamento não afetou o sigilo das senhas, histórico de transações ou outras informações financeiras dos clientes e destacou que está trabalhando na apuração dos fatos e na implementação de mecanismos de segurança para evitar que casos semelhantes voltem a acontecer.

Medidas de segurança BC

A notícia do vazamento vem após o BC tomar medidas para aumentar a segurança do Pix em meio à ocorrência de crimes, incluindo sequestros relâmpago, após o advento do PIX, que permite transferências imediatas feitas sete dias por semana e a qualquer momento.

O BC estabeleceu limite de R $ 1 mil reais para transações entre pessoas físicas das 20h às 6h. Também permitiu que a instituição que detém a conta do usuário receptor pessoa física realizasse o bloqueio preventivo de recursos por até 72 horas em casos de suspeita de fraude.

Deixe uma resposta