» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que conversou com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, sobre a criação de um fundo de estabilização para servir de colchão contra as oscilações dos preços dos combustíveis. A ideia vem ganhando corpo nos últimos dias, em função dos reajustes promovidos pela Petrobras, cuja política de preços é pautada pelo mercado internacional de petróleo.

Em seu semanário “live” nas redes sociais, Bolsonaro disse que tratou do assunto no vôo que o trouxe de volta de Belo Horizonte, onde inaugurou um projeto de metrô na capital mineira como parte das comemorações dos mil dias de governo.

“Eu vim falar com Montezano [presidente do BNDES] hoje no avião pegando dicas dele [sobre] o que podemos fazer. É criar um fundo regulatório, ver os lucros da Petrobras que vieram para o governo federal, para nós … Ninguém vai colocar as mãos em nada “, disse Bolsonaro. Estou dizendo – não podemos nos converter e entrar em esse fundo regulatório? Toda vez que você aumenta você não aumenta todo o aumento ou não aumenta de jeito nenhum. Você faz uma caixa quando está mais baixo e quando sobe, com essa caixa, você compensa esse reajuste que está à frente . “

Ontem, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que tem conversado com dirigentes sobre o fundo “para dar conforto às oscilações de preços”.

Bolsonaro também comentou sobre a vacinação contra covid-19. Para ele, as farmacêuticas não deveriam cobrar pela terceira dose, caso seja necessária uma dose de reforço na população.

Mais uma vez, ele passou vários minutos defendendo tratamentos comprovadamente ineficazes contra covid-19. A essa altura da transmissão, ele lia reportagem da revista “Veja” informando que os laboratórios terão lucros bilionários com uma eventual terceira dose.

“Bem, pessoal. Uma ou duas doses não bastavam? As empresas não diziam que era assim? Se você tem a terceira dose, tem que ser de graça. Ou não é? Não é direito do consumidor ?”, ele disse. “Mas é uma discussão que a grande mídia brasileira entende como ‘o presidente é uma negação’. Não vou me render a ninguém. Não vou fazer política, não vou ser politicamente correto, eu não vou brincar com a vida de outras pessoas. em jogo está a sua vida. ”

Nesta semana, o Ministério da Saúde confirmou a dose de reforço para pessoas com mais de 60 anos e profissionais de saúde. Até então, a pasta havia lançado a terceira dose apenas para imunossuprimidos e com mais de 70 anos.

– Foto: Reprodução / Facebook


.

Deixe uma resposta