Bolsonaro volta a insinuar que houve fraude na eleição de 2018 #politica

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


O presidente Jair Bolsonaro voltou a insinuar esta sexta-feira que houve fraude no eleições 2018. Em entrevista à rádio Uirapuru Jaguaribana, do Ceará, Bolsonaro, que já admitiu não ter provas dessas acusações, repetiu que, “se fossem eleições limpas”, ele teria sido eleito no primeiro turno.

A declaração foi feita um dia após a divulgação de um relatório da ONG Human Rights Watch que acusava o presidente de ameaçar a democracia no Brasil. Também coincide com o fraco desempenho de Bolsonaro nas pesquisas para a eleição presidencial de outubro.

Em seu discurso, Bolsonaro também mencionou a facada que levou em um evento de campanha em Juiz de Fora (MG), em 2018.

“Deus quis que, tendo sobrevivido a uma facada de um membro do Psol, ele também pudesse, sem partido, partido muito pequeno, sem marqueteiro, sem televisão, ganhar algumas eleições. Que eu deveria ter vencido no primeiro turno, se houvesse eleições limpas no primeiro”, disse.

— Foto: Alan Santos/PR

Desde que venceu a eleição, Bolsonaro passou a afirmar que teria vencido no primeiro turno se não fosse por suposta fraude em urnas eletrônicas, que nunca provou. As insinuações se intensificaram no ano passado, o que contribuiu para agravar o conflito do presidente com o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O presidente, no entanto, suavizou o tom após a má repercussão das manifestações antidemocráticas de 7 de setembro, que chocaram o ambiente político e o colocaram à beira de abrir um processo de impeachment.

Recentemente, com dificuldade de decolar nas urnas, Bolsonaro voltou a criticar o sistema eleitoral do país. Nesta semana, ele convocou o ministro do STF Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, para superar o que classificou como “fraquezas” das urnas eletrônicas.

No relatório divulgado nesta quinta-feira, a Human Rights Watch afirma que “o presidente Bolsonaro tentou enfraquecer os pilares da democracia atacando o judiciário e repetindo alegações infundadas de fraude eleitoral”.

A ONG também diz que “as instituições democráticas protegem o direito de voto e a liberdade de expressão de qualquer tentativa de subverter o sistema eleitoral ou enfraquecer o Estado Democrático de Direito e as liberdades fundamentais do presidente Jair Bolsonaro”.

“Com a aproximação das eleições presidenciais de outubro, o Supremo Tribunal Federal, o Tribunal Superior Eleitoral, o Ministério Público Federal, o Congresso e outras instituições democráticas devem permanecer vigilantes e resistir a qualquer tentativa do presidente Bolsonaro de negar o direito de voto aos brasileiros. seus líderes”, diz a organização.

Pesquisas de intenção de voto de vários institutos indicaram a possibilidade de vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno. Nos últimos dias, Bolsonaro também aumentou a frequência de ataques ao PT em entrevistas e pronunciamentos em eventos públicos.

Deixe uma resposta