CSN Mineração (CMIN3) e Usiminas (USIM5) foram destaque de queda do Ibovespa; Inter (BIDI11) e Natura (NTCO3) puxaram altas


17h50 – Taurus (TASA4) registra alta de 186,3% no lucro no 1º trimestre, para R$ 195 milhões

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 37,8% no 1T22, totalizando R$ 242,6 milhões.

Já a margem Ebitda ajustado atingiu 35,9% nos três primeiros meses do ano, alta de 3,9 p.p. frente a margem registrada em 1T21.

A receita líquida somou R$ 676,6 milhões entre janeiro e março deste ano, alta de 22,8% na comparação com igual etapa de 2021.



17h42 – CSN Mineração (CMIN3) e Usiminas (USIM5) foram destaque de queda do Ibovespa; Inter (BIDI11) e Natura (NTCO3) puxaram altas

O Ibovespa hoje sofreu com o impacto da queda das siderúrgicas na Bolsa. Os papéis repercutiram  dados mais fracos da economia chinesa e a expectativa de um corte no imposto de importação de aço. As ações da CSN Mineração (CMIN3) e Usiminas (USIM5) foram os destaques negativos da sessão, recuando, respectivamente, 7,16% e 6,78%, seguidas das ações da CSN (CSNA3), com perdas de 5,82%.

As ações da Petz (PETZ3) e Inter (BIDI11) foram os destaques positivos, subindo, respectivamente, 9,27% e 9,14%, seguidas pelas ações da Natura (NTCO3), com ganho de 8,73%.

Os papéis apresentam recuperação parcial após as fortes quedas dos últimos pregões. Além disso, as ações de varejo foram impulsionadas pelos dados do IBGE, que mostraram crescimento nas vendas do setor bem acima do esperado em março.

As blue chips tiveram desempenhos mistos. Os papéis da Vale (VALE3) cederam juntos com as siderúrgicas, e fecharam em baixa de 1,24%, a R$ 75,54. Os papéis da Petrobras (PETR4;PETR3), por sua vez, resistiram ao cenário negativo pelas petrolíferas e subiram, mesmo com os preços do petróleo em queda no mercado internacional. PETR3 fechou em alta de 1,26%, a R$ 34,69, e PETR4 subiu 0,87%, a R$ 32,44.

Confira as maiores altas e baixas do Ibovespa hoje:

Maiores altas

Ativo Variação % Valor (R$)
BIDI11 9.1358 13.26
NTCO3 8.72703 16.57
PETZ3 7.28814 12.66
CVCB3 5.68889 11.89
ALPA4 5.15759 22.02

Maiores baixas

Ativo Variação % Valor (R$)
CMIN3 -7.15835 4.28
USIM5 -6.77809 10.04
CSNA3 -5.82066 17.96
GOAU4 -5.4386 10.78
GGBR4 -4.3573 26.34


17h15 – Ações da Eve, da Embraer (EMBR3), fecham com derrocada de 23% em estreia na bolsa de Nova York



17h12 – Ibovespa fecha em baixa de 0,14%, aos 103.109 pontos



17h02 – Bolsas em Nova York fecham mistas em sessão de forte volatilidade

  • Dow Jones cai 0,27%, aos 32.160,15 pontos
  • S&P500 sobe 0,25%, aos 4.001,07 pontos
  • Nasdaq fecha em alta de 0,98%, aos 11.737,67 pontos


17h – Dólar comercial fecha em baixa de 0,44%, a R$ 5,133 na compra e R$ 5,134 na venda



16h55 – Ibovespa cai 0,10%, aos 103.151 pontos, no fechamento preliminar



16h46 – Após o fechamento do mercado de hoje, 14 empresas divulgam seus números do 1T22

Confira como se comportam as ações nesta reta final do pregão:

  • Alupar (ALUP11) = +0,31%
  • Armac (ARML3) = +3,33%
  • Brasilagro (AGRO3) = -0,21%
  • CSU Cardsystem (CARD3) = +3,04%
  • Cury (CURY3) = +1,87%
  • CVC (CVCB3) = +6,22%
  • Grupo SBF (SBFG3) = +5,00%
  • Log-In (LOGN3) = +4,67%
  • Mobly (MBLY3) = – 4,74%
  • Qualicorp (QUAL3) = -0,58%
  • São Carlos (SCAR3) = -0,84%
  • Taurus (TASA4) = -1,15%
  • Valid (VLID3) = +4,48%
  • Vivo Telefonica (VIVT3) = -0,49%


16h40 – CEO da Aura Minerals (AURA33) aposta em alta na cotação do preço do ouro



16h24 – Ação da Sinqia (SQIA3) dispara cerca de 10% após balanço trazer crescimento orgânico e inorgânico



16h03 – Economia americana pode aguentar alta de juros; “este é o momento certo para subir as taxas”, diz presidente distrital do Fed

Christopher Waller, presidente do Fed de Minneapolis, disse que a economia está forte para aguentar uma política mais restritiva. “Esta é a hora. Você quer fazer isso quando a economia estiver forte”, disse, acrescentando que o Fed conhece os danos que podem acontecer se não levar a sério a redução da inflação.

Waller disse que se o Fed adiar os aumentos das taxas, a economia pode desacelerar e a taxa de desemprego pode aumentar.

“Do meu ponto de vista, faça agora, carregue-o antecipadamente, faça-o, disse Waller, e então podemos julgar como a economia está progredindo”, disse ele.



15h55 – Nasdaq amplia ganhos e sobe 1,9%; S&P 500 avança 0,82% enquanto o Dow Jones tem alta moderada, de 0,12%



15h28 – Forças Armadas da Bielorrússia se movimentam para fronteira da Ucrânia

A justificativa é que “os Estados Unidos e seus aliados continuam a aumentar sua presença militar nas fronteiras do país”, segundo o chefe do Estado-Maior Geral das Forças Armadas, Viktor Gulevich, como reportado pela CNN internacional.

“Para garantir a segurança da Bielorrússia na direção sul, as forças de operações especiais são implantadas em três direções táticas”, disse Gulevich, que afirmou que Ucrânia tem uma força de 20 mil homens perto da fronteira com a Bielorrússia, o que “exige uma resposta nossa”.

“Há uma ameaça crescente à República da Bielorrússia”, acrescentou.

Até o momento, a Bielorrússia deu apoio apenas político à Rússia na guerra contra a Ucrânia. A entrada militar de um terceiro país no conflito pode ter consequências imprevisíveis.



15h17 – Lula mantém liderança, mas cai distância para Bolsonaro em corrida ao Planalto, diz CNT/MDA



15h06 – Biden diz levar inflação ‘muito a sério’ e que reduzi-la é principal prioridade

Getty Images


14h54 – Ibovespa volta a oscilar em terreno positivo, com ligeira alta de 0,12%, aos 103.375 pontos



14h51 – Iochpe Maxion (MYPK3): Itaú BBA diz que 1T22 da empresa  foi positivo

A Iochpe apresentou bons resultados no 1T22, superando as estimativas robustas com um bom mix e aumento da eficiência operacional, diz o BBA.

“Isso resultou em uma sólida margem Ebitda, mesmo excluindo ganhos não recorrentes positivos líquidos. A desalavancagem foi outro destaque, apesar do pagamento de R$ 201 milhões de dividendos no período”, explica o BBA, que reitera classificação outperform (desempenho superior à média do mercado), com preço-alvo de R$ 20,00.

No momento, o ativo sobe 5,10%, a R$ 13,18.



14h38 – Lockdown em Xangai aumentará pressões na cadeia global de suprimentos e preocupações com a inflação, diz Fitch

As restrições impostas como parte da política de zero Covid-19 da China levaram a uma queda no volume de tráfego de carga de Xangai em abril e início de maio. Com menos caminhões operando e a equipe do porto de Xangai incapaz de carregar e descarregar navios no ritmo normal, acumulam atrasos significativos no porto local.

“Grande parte dessa interrupção, no entanto, ainda não se refletiu em dados macroeconômicos globais, embora as exportações gerais da China tenham desacelerado acentuadamente em abril”, ressalta a Fitch.

Como Xangai lida com cerca de um quinto do volume portuário da China e o país responde por 15% das exportações mundiais de mercadorias, a escassez de produtos manufaturados pode se intensificar, aumentando as pressões inflacionárias globais existentes.

Por fim, a Fitch afirma que “é improvável que as interrupções na cadeia de suprimentos sejam resolvidas rapidamente”.



14h29 – Via (VIIA3) vê sinais de boa recuperação de clientes nas lojas; pressão da inflação continua, diz CEO



14h26 – Vivara (VIVA3): A gente tirou desconto e entregou crescimento, afirma CEO



14h18 – Principais bolsas europeias voltam a fechar no azul, com investidores aproveitando preços menores após quedas recentes

Contudo, a volatilidade segue grande e os investidores ainda fogem do risco, diante do quadro macroeconômico deteriorado (especialmente com a inflação em alta e bancos centrais apertando suas políticas) e da Guerra na Ucrânia cada vez mais imprevisível.

Stoxx 600: +0,68%
DAX (Frankfurt): +1,15%
FTSE 100 (Londres): +0,37%
CAC 40 (Paris): +0,51%
IBEX 35 (Madri): 0,00%
FTSE MIB (Milão): +1,04%
MOEX (Moscou): feriado



14h09 – Méliuz (CASH3): Foco de companhia de cashback agora é aumentar receita por usuário 



14h – Loretta Mester, do Fed, “não descarta para sempre” um eventual aumento de 75 pontos-base 

A presidente da distrital do Federal Reserve em Cleveland afirmou nesta terça-feira que considera adequado o ritmo atual de aperto de juros, mas que “não descarta para sempre” um eventual aumento de 75 pontos-base em uma das reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês). “Não quero descartar nada”, disse.

Em entrevista à Bloomberg TV, a dirigente ressaltou que não prevê a inflação nos Estados Unidos de volta à meta de 2% antes de 2024. Segundo ela, o arrocho monetário poderá ter que ser acelerado no segundo semestre se não houver sinais de arrefecimento dos preços. “Precisamos fazer o que for necessário para conter a inflação”, disse. (com Reuters)



13h45 – Assaí (ASAI3) projeta alta do movimento nas lojas no 2º tri; ação avança após resultado sólido



13h36 – Ações da Eve, da Embraer (EMBR3), despencam em estreia na bolsa de Nova York



13h30 – Nutriplant (NUTR3) reporta lucro líquido 305,9% maior no 1T22, para R$ 1,7 milhão

No 1T21, o lucro líquido da empresa foi de R$ 400 mil, de modo que a empresa conseguiu quadruplicar seu resultado.

O Ebitda foi de R$ 3,6 milhões no período, 197,8% maior do que o R$ 1,2 milhão aferido no mesmo trimestre de 2021.

Já a receita líquida atingiu R$ 34,3 milhões no primeiro trimestre de 2022, 35,7% a mais do que os R$ 25,3 milhões do 1T21.



13h20 – RADAR: Nubank perde 50% desde IPO e vale meio ITUB4; CASH3 reverte lucro e tem prejuízo no trimestre



13h14 – Ibovespa volta a registrar perdas e cai 0,5%, a 102.738 pontos

O principal índice da brasileira chegou subir 1% no início da sessão, em um dia que prometia ser positivo com recuperação após fortes quedas e também de alta para as bolsas americanas. Contudo, o índice desacelerou os ganhos e passou a ter perdas, também com um menor ânimo do exterior ao longo do dia. A preocupação com a inflação e o ritmo de alta de juros nos EUA, a desaceleração da China e a guerra na Ucrânia seguem no radar dos mercados, limitando o sentimento positivo dos investidores.

Lá fora, repercutem ainda as declarações da diretora do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester, afirmando que a instituição monetária americana “adotará ritmo de alta de juros suficiente para conter a inflação” e que “é possível que os EUA adotem taxa de juros acima do neutro.

Por aqui, pesa negativamente no índice as ações de siderúrgicas, repercutindo os dados mais fracos da China. As ações preferenciais do tipo A da Usiminas (USIM5) são as principais baixas, caindo 9,29%, seguidas das ordinárias da CSN (CSNA3), com baixa de 6,50 e das preferenciais da metalúrgica Gerdau (GOAU4), que recuam 4,97%.

O movimento ocorre em meio à notícia de que o governo avalia zerar o imposto de importação sobre onze produtos alimentícios e do setor de construção, incluindo o aço, segundo disseram diversos veículos de mídia. Além disso, os contratos futuros de minério de ferro recuaram na Ásia, com juros nos EUA e demanda chinesa em foco. A ação da Vale (VALE3) tem queda de 1,70%.

Já a ação da Via (VIIA3) virou para queda, em uma sessão volátil após o resultado do primeiro trimestre. O lucro líquido operacional da varejista, dona das bandeiras Casas Bahia e Ponto, caiu 52% no primeiro trimestre ante um ano antes. Analistas da XP viram “resultados sólidos”, destacando a rentabilidade da companhia, com avanço do Ebitda ajustado e maior controle de despesas de vendas, gerais e administrativas. Contudo, ainda veem um cenário desafiador para o segmento de varejo de e-commerce.

Entre as maiores altas do Ibovespa, estão os papéis da Natura (NTCO3), com ganhos de cerca de 5%, mas ainda acumulando queda de cerca de 37%, no ano, seguida de Alpargatas (ALPA4) e BRF (BRFS3), todas com fortes perdas acumuladas em 2022.

No cenário de juros futuros: DIF23, +0,01 pp, a 13,30%; DIF25, -0,08 pp, a 12,35%; DIF27, -0,09 pp, a 12,23%; e DIF29, -0,07pp, a 12,35%.

O dólar futuro com vencimento em junho cai 0,23%, a R$ 5,184. O comercial recua 0,03%, cotado a R$ 5,154 na compra e a R$ 5,155 na venda.



13h02 –  Para Bradesco BBI, resultados da Viveo (VVEO3) no 1T22 foram melhores que o esperado

“Resultado final melhor do que o esperado, excluindo créditos fiscais”, ressalta o BBI. O lucro líquido foi 49% superior à estimativa dos analistas, impulsionado por menores impostos de renda de créditos fiscais de prejuízos e amortização de intangíveis de empresas adquiridas (R$ 23,7 milhões).

Excluindo o crédito tributário, o lucro líquido foi 13% superior ao esperado. O crescimento do lucro líquido na base anual foi impulsionado ainda mais pelo benefício fiscal de incentivo fiscal (R$ 11,6 milhões no 1T22).

A classificação da ação é outperform (desempenho acima da média de mercado), com preço-alvo de R$ 23,00. Neste instante, o ativo sobe 2,41%, a R$ 13,60.



13h – Inteligência dos EUA diz que Guerra na Ucrânia deve se tornar “mais imprevisível e crescente”

A diretora de Inteligência dos EUA, Avril Haines, pintou um quadro sombrio e incerto da próxima fase da invasão russa, que já dura dois meses.

Falando ao Comitê de Serviços Armados do Senado, ela afirmou que será difícil prever o que pode acontecer em parte porque “Putin enfrenta um descompasso entre suas ambições e as atuais capacidades militares convencionais da Rússia”, noticiou a CNN Internacional.

“E a tendência atual aumenta a probabilidade de o presidente Putin recorrer a meios mais drásticos, incluindo a imposição da lei marcial, reorientação da produção industrial ou ações militares potencialmente escaladas para liberar os recursos necessários para alcançar seus objetivos, à medida que o conflito se arrasta, ou se ele percebe que a Rússia está perdendo na Ucrânia”, discursou.



12h57 – Terra Santa (LAND3) não tem planos de comprar terras e receita será destinada a pagar dividendos



12h53 – Vivara (VIVA3): perda de participação dos canais digitais é momentânea, afirma CFO

“A rentabilidade desse canal segue atraente e continuaremos a investir fortemente no crescimento dele, pois acreditamos na sustentabilidade de shares elevados”, afirmou Otavio Lyra, diretor financeiro e de relações com investidores da Vivara, na teleconferência de resultados.

O crescimento dos números da Vivara no primeiro trimestre foi pautado pelas lojas físicas, cuja receita bruta atingiu R$ 356,030 milhões no período, um aumento de 67,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita das vendas digitais, por sua vez, caíram 10,9%, para R$ 51,605 milhões.

Lyra explica que os investimentos em marketing da Vivara foram responsáveis pelo aumento nos fluxos das lojas. A empresa também quer expandir pontos de vendas físicos em 2022 – a Vivara terminou o primeiro trimestre com 290 unidades, com a abertura de 2 novas lojas da Vivara e a conversão de 2 quiosques da Life em lojas da marca.

“Não vemos perda de relevância no canal digital, pois ele continua trazendo fluxo para as lojas físicas”, afirma Lyra. A Vivara, inclusive, investe atualmente na troca e melhoria de sua plataforma digital. A empresa aumentou em 47,5% seus investimentos em sistema e tecnologia da informação no primeiro trimestre, para R$ 4,185 milhões.



12h46 – Após ata do Copom, economistas se dividem sobre fim do ciclo de alta de juros



12h44 – Bradesco BBI espera que as vendas da Blau Farmacêutica (BLAU3) se recuperem no 2T22

Os resultados da Blau foram mistos, com sua receita caindo 3% na base anual, mas com a margem Ebitda se recuperando fortemente em 11 pontos percentuais trimestralmente, para 37%. Ainda assim, o Ebitda e o lucro líquido foram 5% e 66% melhores do que o esperado.

O BBI reitera o rating outperform (desempenho acima da média de mercado), com preço-alvo de R$ 40,00, já que espera-se que os resultados ganhem impulso no 2T22, com base na recuperação das vendas e um impacto positivo do real mais forte.

No momento, BLAU3 ganha 1,14%, indo a R$ 22,10.



12h39 – Vivara (VIVA3) prevê continuidade de crescimento “robusto” nos próximos trimestres

“A gente espera poder trazer, neste ano, potencial de rentabilização da companhia, vindo de margem bruta mais elevada e menos pressionada por incremento de custos, além de uma diluição operacional mais eficiente”, afirma Otavio Lyra, diretor financeiro e de relações com investidores da Vivara.

Para o último mês de abril, a expectativa é de um crescimento robusto em relação a um ano atrás, quando ainda se via impactos relevantes da pandemia. Com a flexibilização de restrições e o fim do uso de máscaras, a Vivara vê um retorno de fluxo de clientes nas lojas em todas as restrições.

“No início de maio, batemos recorde no dia das mães em lojas, em um único dia. Isso deve trazer boa tração para o segundo trimestre como um todo”, explica Lyra.



12h34 – Todos os índices setoriais trabalham no vermelho neste momento

O de Materiais Básicos (IMAT), com menos 3,10%, lidera a fila de quedas; seguido por Industrial (INDX), caindo 1,23%.

Todos os outros perdem pouco: Financeiro (IFNC) perde 0,34%; Consumo (ICON), cai 0,21%; Imobiliário (IMOB), recua 0,07%; Energia Elétrica (IEE), 0,06%; e Utilidade Pública (UTIL), 0,03%.



12h25 – Vivara (VIVA3) aumento de “mix” de produtos impulsionou vendas mesmas lojas (SSS) em unidades mais maduras

Paulo Kruglensky, CEO da Vivara, explicou que a empresa vem trabalhando no desenvolvimento a aumento de mix de produtos, combinando itens mais baratos e mais caros. Com isso, a empresa conseguiu a aumentar a quantidade de peças oferecidas, “um desafio que a companhia vinha tendo nos últimos anos”, afirma Kruglensky.

Ele conta que o o aumento do mix contribuiu com o aumento de vendas mesmas lojas (SSS) em unidades mais maduras, como a do Shopping Morumbi, na zona sul de São Paulo. “A gente também vê oportunidade com outras categorias no futuro. Por que não joias masculinas com metais misturados? Investimentos em tecnologia para ter um produto mais leve, com aparência robustos, um produto forte para continuar crescendo em SSS”, afirma.

No primeiro trimestre deste ano, as vendas mesmas lojas (SSS) da Vivara tiveram avanço de 41,7% na comparação anual, com expansão de 67,1% nas vendas em lojas físicas, na comparação com o primeiro trimestre de 2021.



12h11 – Vivara (VIVA3) retira desconto e entrega crescimento, diz CEO

A analistas, Paulo Kruglensky, CEO da Vivara, afirmou que as varejistas, de maneira geral, têm dependido, cada vez mais, de campanhas promocionais para conseguir vender. “A Vivara conseguiu entregar crescimento e margem sem ter promoções específicas. Isso é muito importante para a saúde da marca”, afirmou.

No primeiro trimestre deste ano, o market share da Vivara cresceu 2,6 pontos percentuais, em relação ao mesmo período do ano passado, para 16,3% – a companhia tem a liderança do mercado. Para Kruglensky, isso deixa a competição em desvantagem, pois a Vivara tem poder de barganha.

“A gente investe quase 50% do faturamento do segundo colocado [no mercado] em mídia. Dificilmente a concorrência consegue impactar o cliente da Vivara e se consegue pagou muito mais caro por isso.”, diz o CEO.



12h09 – Assaí (ASAI3): Vendas em mesmas lojas crescem 40% em abril, com destaque para regiões turísticas e Sudeste

Questionado em teleconferência de resultados sobre o desempenho regional, Belmiro de Figueiredo Gomes, CEO do Assaí afirmou que as regiões de maior participação de mercado da empresa ficam fora de São Paulo, como Goiás e Ceará, por exemplo. Segundo o executivo, boa parte das lojas a serem abertas neste ano ficam fora de São Paulo, mas todas as regiões têm projetos de crescimento de novas unidades.

Questionado sobre a participação das regiões sobre o forte aumento das vendas em mesmas lojas em abril, próximo a 40%, Gomes afirmou que o avanço ocorreu em todos os locais do Brasil, com destaque para regiões turísticas, incluindo aquelas mais distantes, de turismo interno. Em se tratando de desempenho regional, as vendas foram um pouco mais fortes no Sudeste.



12h06 – Bolsas em NY passam a operar em queda após alta do início da sessão

O que parecia um pregão de recuperação, após 3 dias de perdas, se transformou por volta do meio-dia. Há pouco, as bolsas em NY perderam seu fôlego de alta do início do pregão, com o S&P passando a recuar 0,15%, enquanto o Dow Jones passou a operar com perdas de 0,24%. Apenas o Nasdaq mantém alta, de 0,17%.

A piora no exterior, assim como nas últimas sessões, levou o Ibovespa às perdas. Após um início de sessão com altas, o Ibovespa agora recua 0,40%, aos 102.832 pontos.



11h59 – Bolsas em NY seguem em alta, mas perdem fôlego de alta do início da sessão:

  • S&P500: +0,36%;
  • Dow Jones: +0,17%;
  • Nasdaq: +0,78%.


11h58 – Entre perdas e ganhos, Ibovespa passa a recuar 0,08%, aos 103.170 pontos



11h57 – Com pandemia mais controlada, busca por produtos de higiene e limpeza cai, diz Assaí

Em teleconferência com analistas, Wlamir dos Anjos, vice-presidente comercial do Assaí, afirmou que as vendas de algumas categorias que têm a ver com a pandemia, como produtos de limpeza, sabão, álcool, “caíram abruptamente” no início de 2022.

O executivo avaliou que a inflação não é positiva, mas a empresa vem sendo capaz de entregar uma resposta positiva aos consumidores.



11h55 – Usiminas (USIM5), CSN (CSNA3) e Gerdau (GGBR4) desabam com possível tarifa zerada para importar aço: veja o impacto no setor

Analistas traçam cenários e veem impacto negativo para o Ebitda das companhias, com impacto maior para aço plano e, consequentemente, para Usiminas.



11h53 – Terra Santa (LAND3) não tem planos de comprar novas terras

“A gente não tem intenção de usar a receita de arrendamento e de manejo florestal para comprar novas fazendas”, disse a analistas de mercado, José Humberto Teodoro, CEO da companhia. A receita, de acordo com o executivo, será destinado ao pagamento de dividendos.

Segundo Teodoro, o arrendamento de terras representa 96% dos negócios da empresa, e uma parte do restante é oriunda de venda de madeira a partir de manejo florestal.

A Terra Santa (LAND3), empresa exclusivamente focada no mercado imobiliário rural, possui 80,5 mil hectares em área total, divididas em 7 fazendas localizadas no estado do Mato Grosso – 5 dessas fazendas estão arrendadas a SLC Agrícola.



11h51 – Em meio a fechamento de lojas Extra Hiper, Assaí (ASAI3) diz ter aumento de participação de mercado

Em teleconferência de apresentação de resultados, Wlamir dos Anjos, vice-presidente comercial do Assaí, afirmou que com a inflação os consumidores buscam mais o modelo cash and carry. Ele disse que, em meio ao fechamento de lojas Extra Hiper houve aumento de “market share” (participação de mercado) do Assaí.

Segundo o executivo, a inflação está mais longe do que o imaginado inicialmente pela companhia. Ele afirmou que a empresa opera com um trade out forte, de cerca de 5%.



11h49 – Via (VIIA3): pressão da inflação está grande nas despesas da companhia, diz CEO

A Via (VIIA3) está focada em reduzir despesas e deixar a companhia mais produtiva, sem prejudicar os serviços para o consumidor, afirmou a analistas o seu CEO, Roberto Fulcherberguer.

Segundo ele, a redução dos custos de aquisição de clientes é o grande ganho da empresa, ao passo que o foco é depender cada vez menos de injetar muito dinheiro para fazer a aquisição de clientes. Por isso, a Via foca em ampliar fontes de aquisição de clientes, como escalar marketplace e o crediário.

“Com a falta de liquidez no mercado, as plataformas que dependem de queimar muito caixa para fazer GMV tendem a ter maior dificuldade”, afirmou o CEO, que destaca o foco em crescimento com preservação de rentabilidade



11h46 – Assaí (ASAI3): Foco é em conversões de lojas do Extra; meta de R$ 100 bilhões em vendas para 2024 está mantida

Com relação ao R$ 1 bilhão a ser recebido do fundo imobiliário, Daniela Sabbag, CFO do Assaí, afirmou que a empresa não deve usar o valor para pré-pagar dívidas, e que a prioridade agora é investimento no Extra.

Em teleconferência com analistas, Belmiro Gomes, CEO do Assaí, acrescentou que as lojas do Extra garantem capilaridade para a empresa, e que as conversões de lojas são sua prioridade. Ele disse que o que interessa na conversão são os pontos comerciais. E que a companhia trabalha atualmente com um número de conversões maior do que o anteriormente divulgado.

Ele afirmou que a empresa mantém como alvo o valor de R$ 100 bilhões em vendas em 2024, anunciado durante a compra do Extra, em outubro de 2021.



11h44 – Morgan Stanley destaca que Assaí (ASAI3) reportou resultados “em grande parte” dentro das expectativas

As margens Ebitda ficaram 10bps abaixo da estimativa do MS, e os resultados demonstram a resiliência do modelo de cash & carry.

“Continuamos com uma inclinação positiva no negócio do Extra Hiper, e os planos de conversão sugeridos pelos comentários continuam no caminho certo”, sublinha. “Apoiando o caso de conversão, a administração observou que as lojas convertidas antes de 2020 têm uma margem Ebitda ajustado ~150bps maior em média do que a margem geral de Assai (base 1T22) e vemos o desempenho das lojas convertidas como um catalisador chave para a Assaí”.

O Morgan Stanley reitera a classificação overweight. No momento, a ação sobe 1,02%.



11h41 – Bolsonaro (PL) sobe 4 pontos e diminui diferença em relação a Lula (PT) para menos de 9 pontos, diz pesquisa CNT/MDA

Na intenção de voto estimulada, Lula tem 40,6% (contra 42,2% de fevereiro) e Bolsonaro foi a 32,0% (de 28,0%). A diferença, dessa forma, diminuiu de 17 pontos em dezembro de 2021 para 8,6 pontos agora.

Ciro Gomes (PDT) subiu de 6,7% em fevereiro para 7,1% agora. João Doria (PSDB) foi de 1,8% para 3,1%. Simone Tebet (MDB) avançou de 0,6% para 2,3%.

Em um eventual segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 50,8% a 36,8%, ante 53,2% a 35,3% de fevereiro.

Foram realizadas 2.002 entrevistas entre 4 e 7 de maio, e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Leia também:



11h37 – Terra Santa (LAND3) diz que receitas do arrendamento serão usadas para pagar dividendos

Em apresentação a analistas, José Humberto Teodoro, CEO da Terra Santa (LAND3), informou que a empresa pretende usar a receita de arrendamento para pagar dividendos.

“O que nós fizemos nesse ano que passou, foi que a gente pagou percentual máximo permitido de dividendos, 95% do lucro líquido”, disse o executivo.

“Planejamos fazer com a receita de arrendamento é convertê-la em dividendos, ou seja, pagamos as despesas e o lucro vira dividendos”, comentou José Humberto Teodoro.

Em abril de 2022, de acordo com reportado pela empresa, houve o recebimento de R$ 95,9 milhões referente ao contrato de arrendamento com a SLC para a safra 2021/22. Estes recursos serão utilizados para amortização de dívidas, pagamento dos dividendos anunciados e compromissos operacionais da companhia.



11h34 – Abertura de novas lojas deve levar a aumento de despesas, diz Assaí (ASAI3)

Em teleconferência, Belmiro Gomes, CEO do Assaí, afirmou que a aceleração de vendas leva a um efeito de diluição das despesas. Apesar disso, com a abertura de lojas deve haver aumento de despesas, de cerca de 40 pontos base.

Anderson Barres Castilho, vice-presidente de operações, avaliou que a alta do primeiro trimestre frente ao ano anterior foi pequena, e destacou a abertura de 28 lojas em 2022, o que leva a um “pequeno peso” no primeiro trimestre. O segundo trimestre deve ser impactado por ações pré-operacionais, como contratações para as novas lojas, afirmou.

Segundo o balanço, as despesas com vendas, gerais e administrativas do Assaí somaram R$ 1,097 bilhão no 1T22, crescimento de 22,8% em relação ao mesmo período de 2021.

11h27 – Assaí diz esperar crescimento acima de 30% no segundo trimestre

Em teleconferência de apresentação de resultados, Belmiro de Figueiredo Gomes, CEO do Assaí, afirmou que o movimento de abril e maio leva a crer que o segundo trimestre registrará crescimento acima de 30%.

Segundo o balanço, as vendas mesmas lojas cresceram 6,7% no 1T22 frente ao mesmo período do ano anterior. O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 17,3% no 1T22, totalizando R$ 752 milhões.



11h23 – Para próximos trimestres, Méliuz (CASH3) pretende finalizar novo app e focar em receita por usuário

Para Israel Salmen, CEO da companhia de cashback, foco agora é “pescar dentro de nosso próprio aquário” – com a userbase já grande, ideia é aumentar a receita por usuário.

Com isso, gastos de marketing devem ficar menores do que nos últimos trimestre. “Acreditamos que nos manteremos eficientes, mas sem perder eficiência”.



11h21 – Via (VIIA3) diz que escalada de empréstimo pessoal cresceu de forma segura

André Luiz Calabro, Diretor Executivo de Soluções Financeiras da Via, diz que a empresa está atenta às situações macroeconômicas, mas que está segura em relação às soluções de empréstimos que tem feito.

“Estamos atentos e seguros não só em relação à inadimplência, mas observamos no 1TRI e em abril a melhora nos indicadores de curto prazo, que são os indicadores de inadimplência das carteiras até 60 dias”, ressalta ele.

O CEO da Via, Roberto Fulcherberguer, ressalta que a expectativa é crescer ainda mais a carteira de crédito ao longo do ano, que até o 1T22 somou R$ 5,2 bilhões.



11h17 – Para Itaú, Copom está “reforçando a extensão do ciclo”, mas taxa final segue projetada em 13,75%

A ata do Copom reforça as principais mensagens do comunicado da semana passada: outra alta da Selic é provável na próxima reunião, mas em ritmo menor, dada a fase do ciclo e a necessidade de cautela em um cenário percebido como altamente incerto.

“Projetamos alta de 0,5 pp na reunião de junho e, dadas as projeções de inflação moderadas consideradas pelo comitê, esperamos outra alta de 0,5 pp na reunião de agosto. Assim, mantemos nossa visão de taxa Selic em 13,75% ao final do atual ciclo de aperto”, diz o Itaú.



11h12 – Bradesco BBI diz que, com ata, Copom assumiu uma posição neutra: “nem hawkish, nem dovish

“De fato, com riscos tanto para o lado positivo (pressões inflacionárias globais e incerteza sobre o quadro fiscal futuro do Brasil) quanto para o lado negativo (possível reversão dos preços das commodities e desaceleração da atividade econômica acima do esperado), o Copom decidiu adotar uma postura mais neutra postura, nem hawkish nem dovish”, analisa.

O BBI também destaca que, na ata de hoje, o Copom citou 2023, mas não 2022, em seu horizonte relevante para a política monetária, indicando resignação em atingir a meta de inflação até o final deste ano.



11h10 – Via (VIIA3): vemos sinais de boa recuperação de clientes nas lojas, diz CEO

O Dia das Mães deste ano registrou o melhor fluxo de clientes nas lojas da Via (VIIA3) desde 2018, excluindo dias de BlackFriday, segundo Roberto Fulcherberguer, CEO da empresa.

Ele citou que do início do ano até meados de fevereiro a empresa registrou um período “bastante complexo” com os reflexos da variante Ômicron. Mas desde meados de fevereiro, o fluxo veio gradualmente aumentando novamente.

“Vemos bons sinais de trânsito de clientes, o que faz com que nossas vendas nas lojas físicas tenham boa recuperação. Vemos bom início de recuperação de SSS (vendas de mesmas lojas”, destaca o CEO.



HORA DO MERCADO

11h05 – Volátil, Ibovespa passa a avançar 0,43%, aos 103.694 pontos

O principal índice da brasileira viu sua alta desacelerar, após avançar mais de 0,80% mais cedo – e inclusive virar para o negativo em alguns momento da manhã.

Em parte, o Ibovespa acompanha a performance dos índices americanos, que também viram suas altas desacelerarem levemente.

No exterior, repercutem as declarações do diretor do Federal Reserve de Cleaveland, afirmando que a instituição monetária americana “adotará ritmo de alta de juros suficiente para conter a inflação” e que “é possível que os EUA adotem taxa de juros acima do neutro.

Por aqui, pesa negativamente no índice as ações de siderúrgicas, repercutindo os dados mais fracos da China. As ações preferenciais do tipo A da Usiminas (USIM5) são as principais baixas, caindo 6,13%, seguidas das ordinárias da CSN (CSNA3), com menos 3,74%, e das preferenciais da metalúrgica Gerdau (GOAU4), que recua 3,33%.

As ações da Vale (VALE3), a despeito da queda do minério no porto de Dalian, sustentam leve alta de 0,30%, se recuperando das recentes quedas. Os papéis ordinários e preferenciais da Petrobras (PETR3;PETR4) também estão em alta de, respectivamente, 1,61% e 1,46%, a despeito da queda do petróleo.

Entre as maiores altas do Ibovespa, estão os papéis ON da BRF (BRFS3), com mais 5,36%, os unitários do BTG ([ativo=BPCA11]), que sobem 4,23%, e os ordinários da Eztec (EZTC3), com alta de 3,35%.

No cenário de juros futuros: DIF23, -0,01 pp, a 13,28%; DIF25, -0,07 pp, a 12,37%; DIF27, -0,08 pp, a 12,24%; e DIF29, -0,07pp, a 12,35%.

O dólar futuro cai 0,58%, a R$ 5,168. O comercial recua 0,40%, cotado a R$ 5,135 na compra e a R$ 5,136 na venda.



11h01 – Iochpe-Maxion (MYPK3): 1T22 supera consenso, apesar da escassez de semicondutores na indústria, diz Bradesco BBI

A Iochpe-Maxion (MYPK3) registrou forte Ebitda ajustado no 1T22 de R$ 568 milhões (+52% a/a), 27% maior que a expectativa do Bradesco BBI e 24% acima do consenso do mercado.

Entre os principais destaques estão a margem Ebitda que aumentou para 13,3% (+1,3 p.p. a/a) na combinação de repasse de custos e mix de receitas. Apesar do cenário desafiador para a produção global de veículos devido à escassez de semicondutores e a guerra na Ucrânia, a empresa reportou alta de receita de 37% a/a.

O Bradesco BBI espera que a produção de veículos pesados continue impulsionando o faturamento e o Ebitda da Iochpe-Maxion. A recomendação é de outperform (performance acima do mercado), com preço-alvo de R$ 21.



10h59 – China pede “urgência de um cessar-fogo” na Ucrânia, mas comércio com a Rússia só aumenta

O presidente chinês Xi Jinping “concordou com a urgência de um cessar-fogo” na Ucrânia durante um telefonema de 90 minutos com seu colega francês Emmanuel Macron, recém-reeleito. A informação é da CNN internacional, citando o Palácio do Eliseu.

“Os dois chefes de Estado reiteraram seu compromisso de respeitar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia e concordaram com a urgência de alcançar um cessar-fogo”, segundo o comunicado. “Todos os esforços para fornecer apoio humanitário à população ucraniana também devem ser apoiados”.

Em contrapartida, o conflito tem feito o comércio entre Rússia e China subiu 25,9% nos primeiros quatro meses de 2022 – só em abril foram US$ 8,9 bilhões em compras feitas pelas China.



10h57 – Credit Suisse espera continuidade nas estratégias da Neoenergia (NEOE3) mesmo após mudança de comando 

A empresa anunciou a saída de Mario Ruiz-Tagle (CEO) e Eduardo Capelastegui (Controle e Planejamento Patrimonial) assume em seu lugar.

Para o Credit Suisse, a mudança é neutra. “O Sr. Tagle está assumindo um novo cargo na controladora. O Sr Capelastegui está no Brasil há 20 anos (no Neo desde 2016) e conhece a companhia, por isso esperamos continuidade”. No momento, NEOE3 sobe 0,22%.



10h55 – Ibovespa volta ao positivo, com alta de 0,48%, aos 103.744 pontos



10h52 – Iochpe-Maxion (MYPK3): 1T22 tem receita recorde combinada com margens fortes, diz XP

A Iochpe-Maxion (MYPK3) reportou resultados robustos no 1T22 na avaliação da XP. Com destaque para o Ebitda recorrente de R$ 568 milhões +53% a/a e +79% t/t (+22% acima das estimativas da XP).

Os analistas ressaltaram o perfil resiliente da receita líquida da empresa, reforçado pelos resultados do 1T22, com receita melhorando +37% a/a e +13% t/t, sustentada pelo forte desempenho da divisão comercial (+61% a/a e +7 p.p. representativo nas receitas).

A XP também vê a redução dos níveis de alavancagem da empresa como um importante fator de redução de risco para a tese de investimento da Iochpe, sendo a companhia a principal escolha da XP entre as empresas de autopeças.



10h50 – Grupo Mateus (GMAT3) diz que vendas no 2º tri avançam acima do esperado; ações disparam



10h47 – Ibovespa zera ganhos e opera próximo da estabilidade, aos 103.303 pontos



10h45 – Vivara (VIVA3): Resultados do 1T22 foram os melhores entre as varejistas, avalia Itaú BBA

A margem bruta da companhia no trimestre superou as projeções do Itaú BBA em 100 pontos base. A margem Ebitda, por sua vez, ficou 50 pontos abaixo do esperado. De qualquer forma, a análise afirma que os resultados da Vivara foram os mais fortes entre as varejistas acompanhadas pela casa.

“A companhia manteve sua trajetória de força nas vendas e sua lucratividade em níveis saudáveis, em meio a um período de deterioração macroeconômica – um grande feito, levando em consideração o cenário difícil para o varejo no primeiro trimestre de 2022”, diz o texto do BBA.

A casa tem classificação outperform para VIVA3, com preço-alvo de R$ 37.



10h40 – Bradesco BBI entende que queda de produção da PetroRio (PRIO3) em abril reflete melhor o potencial do portifólio

A PetroRio divulgou ontem à noite os volumes de produção e vendas de abril, com média de 33,8 kbp, queda de 1.200 kbpd em relação a março, principalmente devido às atividades de manutenção em Frade e falhas no sistema de geração de energia no cluster Polvo e TBMT.

“A produção de abril da PetroRio apresentou uma queda em relação aos níveis do 1T22 (35,2 kbpd) que melhor refletiu o potencial do portfólio atual”, diz. “No entanto, a produção foi afetada principalmente por fatores pontuais. Assim, deve retornar à faixa de 35-36kbpd no curto prazo”, projeta.

No momento, PRIO3 sobe 1,53%.



10h36 – Grupo Mateus (GMAT3) tem resultados mistos no 1T22, diz Credit Suisse

O Grupo Mateus (GMAT3) apresentou sólido crescimento de vendas líquidas no 1T22 de 36,2% a/a, impulsionado pela abertura de 16 lojas durante o trimestre, maturação das lojas abertas anteriormente e sólido SSS (vendas de mesmas lojas) de 12,7% a/a, diz o Credit Suisse.

Por outro lado, a margem bruta contraiu 150bps a/a para 22,3% das vendas, ligeiramente abaixo das estimativas do Credit Suisse e do mercado. Os resultados financeiros líquidos mais baixos levaram a um lucro líquido consolidado de R$ 199 milhões (+27,1% a/a), acima das estimativas do Credit Suisse e do mercado em 17% em média.

O rating é de outperform (performance acima do mercado), com preço-alvo de R$ 7,00.



10h33 – Ações ON da Mitre (MTRE3) sobem 1,96%, a R$ 5,20, com manutenção de margens sólidas apesar do cenário desafiador



10h32 – Bolsas americanas abrem em alta, se recuperando de quedas da véspera

  • Dow Jones sobe 1,16%, aos 32.619 pontos
  • S&P 500 avança 1,37%, aos 4.045 pontos
  • Nasdaq tem alta de 1,65%, aos 11.813 pontos


10h31 – Credit Suisse entende que o “curto prazo deve permanecer desafiador para as empresas de comércio eletrônico no Brasil”, incluindo a Via (VIIA3)

Isso por conta dos desafios impostos pelo ambiente macroeconômico (ou seja, inflação alta, taxas de juros crescentes e taxas de desemprego ainda altas) e das duras comparações do 2T22 nas principais categorias.

“Apesar de mostrar os primeiros sinais de inflexão em termos de crescimento, os resultados de hoje (divulgados pela Via, em relação ao 1T22) não alteram significativamente nossa visão. Investidores continuam céticos em relação às empresas de longa duração, diante das incertezas sobre o rumo das taxas de juros não só no Brasil, mas também nos Estados Unidos, que afetam os mercados acionários em todo o mundo”, explica o Credit Suisse.

O banco permanece neutro em VIIA3, com preço-alvo de R$ 4,00. Na abertura, a ação dispara 5,20%, a R$ 2,84.



10h30 – Papéis ordinários do Grupo Mateus (GMAT3) avançam 6,93%, a R$ 4,63, depois de reportar resultado melhor do que o esperado



10h29 – Dólar futuro cai 0,74%, a R$ 5,159, com menor aversão ao risco



10h27 – Ações ON da Méliuz (CASH3) sobem 2,48%, a R$ 1,65, após tendências mistas no primeiro trimestre



10h25 – Goldman Sachs destaca que Copom continua na ofensiva na calibração da política monetária

“A ofensiva vem especialmente diante da deterioração ainda maior das expectativas de inflação e das projeções de inflação para 2022-23”, ressalta. “Mas tudo tem um limite. A declaração de política pós-reunião e as atas mostram um Banco Central vigilante, mas equilibrado, pronto para validar uma taxa Selic acima de 13%, mas também cauteloso em relação aos próximos movimentos de política”.

Ao todo, segundo o Goldman Sachs, o Brasil está agora entrando em um estágio de ajuste fino do ciclo final.

“Por fim, destacamos que a ata não menciona de forma explícita ou implícita que uma provável alta de junho (de menor magnitude) poderia ser o fim do ciclo, afinal o Copom não menciona mais que o ciclo de juros que sustenta seu cenário (Selic subindo para 13,25% em 2022) é suficiente para a convergência da inflação para níveis em torno da meta no horizonte”, encerra.



10h24 – Ações ON da Sinqia (SQIA3) saltam 10,58%, a R$ 18,10, com forte crescimento do lucro impulsionado por aquisições e fusões



10h20 – Ações ON da BB Seguridade (BBSE3) operam em leve alta de 0,47%, a R$ 25,50, após balanço



10h17 – Itaú BBA ressalta que resultados do primeiro trimestre da Blau Farmacêutica (BLAU3) vieram em linha com as expectativas

A receita líquida foi significativamente afetada por uma forte redução nas vendas de imunoglobulinas e pelas comparações anuais fortes. A empresa reportou números melhores no trimestre, de acordo com a análise do BBA, entregando a melhoria sequencial esperada.

A classificação da ação é outperform (desempenho acima da média de mercado), com preço-alvo de R$ 64,00.



10h16 – Ações ordinárias do Assaí (ASAI3) sobem 1,90%, a R$ 15,04, após resultados acima das expectativas do consenso



10h15 – Ibovespa avança 0,82%, aos 104.096 pontos

O principal índice da bolsa brasileira avança, acompanhando a recuperação dos mercados internacionais. Por aqui, resultados trimestrais vistos como positivos também ajudam a puxar o otimismo – a Via (VIIA3), que divulgou seu balanço ontem, sobe 5,20%, sendo a principal alta.



10h12 – Ações ON da Via (VIIA3) disparam 4,83%, a R$ 2,82, com melhora da rentabilidade no primeiro trimestre



10h06 – Méliuz (CASH3) tem resultados neutros, com destaques para alta do GMV e total de contas, diz Itaú BBA

Já o total de compradores aumentou 61% na base anual, enquanto a receita líquida no trimestre foi de R$ 90 milhões, 74% acima na comparação anual, mas com queda trimestral devido à sazonalidade, destaca o BBA.

As compras do Brasil foram impulsionadas pelo maior volume bruto de mercadorias (GMV, na sigla em inglês), em conjunto com uma maior taxa de aceitação (6,3%, aumento de 0,5 ponto percentual em relação ao 1T21).

Ainda que destacassem uma reação neutra do preço das ações, os analistas seguem com recomendação outperform (desempenho acima da média) para CASH3, com preço-alvo de R$ 10,70, expressivo potencial de valorização de 565% em relação ao fechamento da véspera.



10h04 – Ibovespa abre em alta preliminar de 0,28%, aos 103.538 pontos



10h03 – Assaí (ASAI3) registra resultados de alta qualidade, pontua Credit Suisse

O banco suíço diz que o crescimento da receita do Assaí foi impulsionado por um forte vendas mesmas lojas (SSS), além de um sólido desempenho das lojas inauguradas nos últimos 12 meses.

“Mais uma vez, o Assaí conseguiu proteger a margem bruta a/a em 16% das vendas, refletindo a maturação acelerada de novas lojas, bem como sua estratégia comercial bem-sucedida e ajustes efetivos de sortimento de produtos, mesmo em um ambiente de consumo mais desafiador tendências para baixo”, diz o relatório.

O rígido controle de despesas compensou parcialmente o ritmo acelerado de inaugurações nos últimos 12 meses (32 lojas) e os custos pré-operacionais relacionados às conversões do Extra Hiper, levando as despesas de gerais e administrativas a permanecerem praticamente estáveis ​​em 9,6% das vendas (-10bps a/a).

Credit Suisse classificação outperform para Assaí, e preço-alvo de R$ 20 frente a cotação de segunda-feira (09) de R$ 14,76.



10h02 – Via (VIIA3): rentabilidade é destaque positivo no balanço, mas cenário desafiador continua



9h57 – Mitre (MTRE3) registra margens sólidas no primeiro trimestre, destaca BBA

A Mitre reportou um bom conjunto de números no trimestre, apoiado por uma sólida margem bruta demonstrada em meio a uma perspectiva de custo desafiadora. Uma despesa financeira mais pesada, no entanto, levou a um desempenho do lucro líquido amplamente alinhado com as estimativas.

Itaú BBA mantém classificação market perform para Mitre e preço-alvo de R$ 18,50.



9h56 – Grupo Mateus (GMAT3): 1T22 foi melhor do que o esperado, diz Bradesco BBI

O Grupo Mateus reportou receitas e Ebitda superiores ao projetado pelo Bradesco BBI. O crescimento das vendas líquidas permaneceu forte, +36% a/a, com crescimento de SSS (vendas de mesmas lojas) de 12,7%, acima do BBI em +8%.

O lucro líquido ajustado foi muito superior ao BBI devido às menores despesas financeiras, combinadas com o Ebitda.  A margem Ebitda de 5,7% ficou acima da estimativa de 5,0%, o que significa que o Ebitda foi de +21% vs. o BBi. A margem bruta de 22,3% ainda foi pressionada pela decisão da administração de não repassar integralmente o impacto do aumento da inflação para manter o volume, mas é positivo ver que a empresa conseguiu compensar grande parte do a queda da margem bruta com despesas de vendas e administração mais eficientes.

O rating é de outperform (performance acima do mercado), com preço-alvo de R$ 10.



9h51 – Sinqia (SQIA3) relata fortes resultados no primeiro trimestre, aponta Credit Suisse

A receita líquida foi de R$ 139 milhões, +103% a/a, e Ebitda ajustado de R$ 36,2, +192% a/a, impulsionado por diversas fusões e aquisições. Ambas as linhas ficaram 4% acima do consenso. A margem Ebitda cresceu, atingindo 26,1% com melhor mix.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 27 frente a cotação de segunda-feira (09) de R$ 16,35.



9h49 – Grupo Mateus (GMAT3) diz não ver necessidade de se endividar para expandir lojas

Questionado sobre Capex (investimentos), o CEO do Grupo Mateus, Ilson Mateus, afirmou que a empresa tem caixa para realizar a expansão prevista para o final de 2022. A expectativa é de que a geração de caixa venha muito forte. Assim, a empresa pode tomar algo de dívida, mas relativamente pouco, visando ano que vem, afirmou.



9h48 – Sinqia (SQIA3) apresenta números sólidos e alinhados, diz BBA

Para analistas, o crescimento orgânico da ARR foi uma surpresa positiva, acelerando na base anual e trimestral. O trimestre marcou uma transformação substancial na lucratividade do Sinqia, com expansão de margem bruta e Ebitda, devido à consolidação das recentes aquisições (LOTE45 e dois meses da Mercer).

Itaú BBA reitera avaliação outperform para Sinqia e preço-alvo de R$ 33.



9h47 – Via (VIIA3) tem cenário difícil pela frente para as principais categorias, diz Morgan Stanley

Com um crescimento de GMV (volume bruto de vendas) de +3% a/a e uma queda de -2% na receita líquida, a Via registrou um ritmo impulsionado pelas despesas, com margens Ebitda ajustado de 10,2% bem acima da projeção do Morgan Stanley, de 3,5%.

Mas, apesar dos números positivos de despesas gerais e administrativas, os analistas veem um cenário difícil persistindo para as categorias principais da Via, especialmente para a vertical de eletrônicos.

O Morgan Stanley permanece com classificação underweight (exposição abaixo da média) “aguardando um cenário de receita mais favorável, juntamente com uma melhoria adicional da margem líquida”.



9h44 – Grupo Mateus diz que vendas no segundo trimestre se aceleram acima do esperado

Em teleconferência de apresentação de resultados, o CEO do Grupo Mateus, Ilson Mateus, afirmou que as vendas em mesmas lojas vêm ocorrendo em níveis “bem acima do esperado” em abril e no início de maio, de forma que a expectativa é de resultados trimestrais acima do esperado.

No setor elétrico, afirmou que houve uma melhoria muito grande com o Auxílio Brasil, apesar de o primeiro trimestre ser mais fraco, com queima de estoques. O executivo também afirmou que, no setor de móveis, vem focando em eficiência e entregas.



9h42 – Via (VIIA3): Ebitda do 1T22 foi forte, mas recomendação de venda permanece, afirma Goldman Sachs

A Via (VIIA3) reportou um Ebitda “surpreendentemente forte” no 1T22, segundo o Goldman sachs, mas as receitas foram menores do que o esperado (4% abaixo do consenso).

A alta da margem Ebitda, no entanto, surpreendeu (+270bp acima do consenso), que veio principalmente de uma redução no índice de despesas gerais e administrativas, pois a empresa reduziu despesas, mas também reduziu seu provisionamento de despesas.

Ainda assim, o Goldman Sachs manteve o rating de venda para Via, pois vê um cenário macro desafiador contínuo, bem como um ambiente operacional competitivo para a empresa.

“Enquanto reconhecemos o progresso feito na gestão com as despesas, acreditamos que escalar os negócios online, e o GVM do 3P em particular, exigiriam um retorno de um ciclo de investimento mais profundo”, destacam os analistas. O preço-alvo é de R$ 3,70.



9h40 – Grupo Mateus (GMAT3) tem resultado do 1T22 melhor do que esperado, mas margem segue pressionada, avalia XP

Para o time de análise da XP, o Grupo Mateus (GMAT3) apresentou resultados acima do esperado no primeiro trimestre, apesar da margem ainda pressionada por conta do contexto macro desafiador e forte plano de expansão da companhia. A XP reitera recomendação de compra para o Grupo Mateus e preço-alvo de R$ 9.



9h37 – Aura Minerals (AURA33) tem resultados prejudicados por vendas mais baixas e custos mais altos, afirma BBA

A Aura reportou um Ebitda 6% acima das estimativas do BBA, mas 13% inferior no trimestre e 7% no ano. O desempenho do Ebitda foi impulsionado por uma queda de 8% nas vendas (com embarques ligeiramente acima dos volumes de produção) e um pior desempenho de custos com menor diluição de custos fixos.

A Aura manteve seu guidance de produção para 2022, com o ponto médio 2% acima do valor de 2021. O custo caixa em 2022 deverá permanecer relativamente estável em relação aos US$ 818/t reportados no 1T22. O banco mantém classificação market perform para o ADR e preço-alvo de R$ 72.



9h35 – Grupo Mateus (GMAT3) tem vendas sólidas no 1T22, mas com rentabilidade pressionada, avalia Itaú BBA

Os resultados do 1T22 do Grupo Mateus (GMAT3) foram ligeiramente positivos, segundo o Itaú BBA. Os analistas destacam os números da receita superando as estimativas em 6%, principalmente devido ao SSS (vendas de mesmas lojas) acima do esperado de 12,7%.

Mas, como esperado, a lucratividade foi impactada por fatores macroeconômicos e pela aceleração do plano de expansão, embora as despesas com vendas tenham sido parcialmente diluídas pelo forte impulso das vendas.

A receita líquida ficou 36% maior no comparativo anual e impulsionada pela expansão da empresa (49 lojas abertas) e ganhos de produtividade (SSS em 12,7%).

A margem bruta foi pressionada em 1,6 p.p. a/a para 22,3%, principalmente devido aos ventos contrários da inflação, abertura de lojas e maior participação B2B.

O rating é de outperform (performance acima do mercado), com preço-alvo de R$ 9,0.



9h33 – Mitre (MTRE3) reporta números saudáveis no primeiro trimestre, diz BBI

A receita líquida da construtora veio 25% abaixo das projeções do BBI e 17% abaixo do consenso, explicada principalmente pela ausência de lançamentos anunciada anteriormente no 1T22 (comparado ao alto volume lançado no 4T21) e seu impacto no reconhecimento de receita, que analistas esperam reacelerar nos próximos trimestres.

A margem bruta foi sólida em 34,1%, enquanto a margem a apropriar ficou forte em 38,7%, apesar de todos os desafios relacionados a custos do setor. O BBI mantém recomendação neutra para Mitre e preço-alvo de R$ 15.



9h30 – Ibovespa futuro opera próximo da estabilidade, descolado do exterior; commodities pesam



9h28 – BB Seguridade (BBSE3): resultados são positivos para as ações, diz Credit Suisse

Os resultados do 1T22 reforçam a postura positiva do banco em relação à BB Seguridade e também refletem bem o guidance para 2022, mantido inalterado, o que ao ver do banco é uma mensagem positiva para os próximos trimestres, considerando a expectativa de crescimento de dois dígitos nos resultados operacionais, prêmios emitidos e reservas previdenciárias.

O lucro líquido ficou 4% acima das estimativas do Credit (7% acima do consenso), principalmente em função de resultados financeiros acima do esperado na Brasilprev após menor descasamento IPCA x IGP-M em março, mas beneficiado por um efeito MtM de R$ 142 milhões.

Credit Suisse mantém avaliação outperform para BB Seguridade e preço-alvo de R$ 27,50.



9h25 – Ibovespa Futuro passa a operar entre perdas e ganhos; agora sobe 0,07%, aos 104.735 pontos



9h24 – Grupo Mateus diz que margem bruta é pressionada por inflação e abertura de novas lojas

Em teleconferência de apresentação de resultados, a diretoria do Grupo Mateus afirmou que a rentabilidade e a margem bruta estão dentro do imaginado. A margem bruta foi pressionada por inflação e abertura de novas lojas, que demoram seis meses para começar a performar. A venda de terras teve bom desempenho, com uma margem menor, mas diluição de custos.

No primeiro trimestre, a empresa foi capaz de reduzir estoques, afirmou a diretoria. Isso ocorreu apesar da abertura de lojas novas de ‘atacarejo’, que exigem estoques maiores. Sobre as margens, a diretoria afirmou que estas devem se manter dentro dos patamares atuais, dependendo da inflação, com possibilidade de impacto positivo pela maturação das novas lojas.



9h22 – BB Seguridade (BBSE3) apresenta resultados neutros com tendências semelhantes aos trimestres anteriores, diz BBA

O crescimento anual dos prêmios emitidos foi novamente impulsionado pelo seguro rural, enquanto o prestamista seguiu caminho inverso. Na Previdência, embora as contribuições tenham aumentado, a arrecadação líquida foi negativa. A empresa segue perdendo market share no segmento previdenciário. Conforme esperado, o resultado financeiro do trimestre aumentou substancialmente.

O banco mantém classificação market perform para o papel, e preço-alvo de R$ 23 frente a cotação de segunda-feira (09) de R$ 25,38.



9h21 – Juros Futuros operam em queda após ata do Copom e vendas do varejo: DIF23, -0,04pp, a 13,25%; DIF25, -0,07pp, a 12,37%; DIF27, -0,08pp, a 12,24%; DIF29, -0,07pp, a 12,35%; e DIF31, -0,06, a 12,44%.



9h19 – Petrobras (PETR3;PETR4) inicia fase vinculante de participação no campo de Tartaruga

A Petrobras (PETR3;PETR4) iniciou hoje a fase vinculante referente à venda da totalidade de sua participação no campo de Tartaruga, localizado em águas rasas da Bacia de Sergipe-Alagoas, estado de Sergipe.

Os poços do campo foram perfurados direccionalmente, a partir da base situada na porção terrestre do ring‐fence. A produção média no 1º trimestre de 2022 foi de aproximadamente 202,26 bbl/dia de óleo leve (37º API) e 2.161 m3/dia de gás associado.

A Petrobras detém 25% de participação no campo e a Maha Energy Brasil é a operadora, com 75% de participação.



9h17 – Dólar Futuro recua 0,32%, cotado a R$ 5,181; comercial recua 0,01%, a R$ 5,155 na compra e a R$ 5,156 na venda



9h15 – Ibovespa futuro reduz ganho, agora com alta de 0,16%, aos 104.815 pontos



9h14 – Bradesco BBI vê resultado do Méliuz (CASH3) como ligeiramente negativo e destaca desafios de rentabilidade

O Bradesco BBI pontuou o aumento da receita em 74% na base anual, mas ponderou que o Ebitda foi negativo em R$ 17 milhões no trimestre, pressionado tanto pelas margens brutas (na comparação anual) quanto pelas maiores despesas operacionais (principalmente com pessoal).

“Acreditamos que o mercado deve considerar os resultados marginalmente negativos, uma vez que a rentabilidade ainda está para ser vista nos próximos trimestres, enquanto ainda existem vários desafios de execução a serem superados”, avaliam.

Além disso, o crescimento da receita já foi antecipado pelos números preliminares divulgados anteriormente, enquanto os custos continuam pressionando o Ebitda, com a preocupação que ainda pesa entre os investidores sobre a lucratividade de médio e longo prazo.

Contudo, a recomendação do BBI para a ação CASH3 segue outperform (desempenho acima da média do mercado), com preço-alvo de R$ 3,90, ou potencial de alta de 142% em relação ao último fechamento.



9h13 – Assaí (ASAI3) reporta lucro líquido acima das estimativas do BBA

Para analistas do BBA, o Assai apresentou resultados em linha em termos de margem bruta e Ebitda, enquanto o lucro líquido veio 52% acima das suas projeções. Apesar do plano de expansão de lojas e conversões no período, o Assaí manteve uma margem bruta estável em relação ao ano anterior, com uma redução de 0,2 pp na margem Ebitda.

O Itaú BBA mantém avaliação outpeform para Assaí e preço-alvo de R$ 21.



9h11 – Via (VIIA3) tem 1T22 levemente positivo, afirma Itaú BBA

O fraco desempenho das lojas físicas continuou a reduzir as vendas líquidas da Via (VIIA3), em 2% a/a, embora melhorando em relação aos trimestres anteriores. O Itaú BBA destaca que o SSS (vendas de mesmas lojas) voltou a território positivo, indicando uma recuperação.

Segundo os analistas, a rentabilidade foi destaque no trimestre, com margem Ebitda acima do esperado de 10,2% (aumento de 2,5 p.p. a/a), impulsionada pela redução de despesas.

O GMV (volume bruto de vendas) online cresceu 4% a/a, impulsionado pela expansão 3P, enquanto as lojas físicas mostraram alguma recuperação no trimestre, mas não suficiente para evitar uma queda de 2% a/a nas vendas para R$ 7,4 bilhões.

A empresa destacou que a recuperação das lojas físicas se intensificou em março, e manteve a tendência de abril, indicando notícias positivas para o 2T22.

A recomendação é de market perform (performance na média do mercado), com preço-alvo de R$ 4,70.



9h10 – B3 (B3SA3) registra dados operacionais fracos, diz BBI

O Bradesco BBI enxerga dados operacionais como marginalmente negativo para as ações da B3, com dados fracos em valores de volume médio diário negociado (ADTV, na sigla em inglês) de ações à vista e receitas de derivativos – que podem continuar sendo impactados em um cenário de volatilidade persistente (e alta) e maior atratividade de renda fixa.



9h09 – BB Seguridade (BBSE3) divulga números amplamente em linhas com o esperado pelo BBI

A BB Seguridade teve lucro líquido ajustado acima das expectativas consensuais de R$ 1,02 bilhão, embora em linha com as estimativas do BBI. O resultado financeiro foi impactado positivamente pelos fortes resultados financeiros tanto da Brasilseg quanto da Brasilprev, que devem se normalizar nos próximos trimestres.

Operacionalmente, no entanto, a empresa ficou abaixo do seu guidance de resultados de subscrição na Brasilseg, o que analistas não enxergam como preocupante, pois o segmento rural deve melhorar ao longo do ano.

Analistas acreditam que o ímpeto deve continuar crescendo nos próximos trimestres, com a normalização da sinistralidade do seguro rural e a aceleração do crescimento das reservas de previdência.

O banco mantém classificação neutra para o papel, e preço-alvo de R$ 21 frente a cotação de segunda-feira (09) de R$ 25,38.



9h05 – Via (VIIA3) reportou resultados mistos no primeiro trimestre, afirma Bradesco BBI

Embora a margem Ebitda da Via (VIIA3) no 1T22 tenha surpreendido positivamente, o lucro líquido foi apenas um pouco acima do breakeven e o crescimento de 3% do GMV (volume bruto de mercadorias) foi baixo, ficando abaixo do Mercado Livre (+23%) e Americanas (18% a/a), em parte devido à maior exposição a eletroeletrônicos.

Para o Bradesco BBI, para alcançar a margem Ebitda acima do esperado, a Via (assim como outras do segmento) reduziu o opex (menor número de lojas) e aumentou as taxas de participação do marketplace.

“Dessa forma, achamos que a principal questão que se coloca é até que ponto a Via será capaz de reacelerar o crescimento no final do ano, ou em 2023, mantendo os níveis atuais de rentabilidade do Ebitda”, ponderam os analistas.

O Bradesco BBI pontua ainda que outra questão relevante que deve perdurar durante o ano são os empréstimos inadimplentes. Durante o 1T22, a inadimplência de 90 dias subiu para 9,0% da carteira de 7,9% no 1T21 e 8,7% no 4T21. “Este não é um aumento que vemos como uma luz de alerta, mas será claramente uma métrica importante a ser monitorada até o final do ano”, afirma.

O rating é neutro com preço-alvo de R$ 5.



9h03 – Ibovespa futuro abre em alta de 0,43%, aos 105.090 pontos



9h00 – Vendas no varejo sobem 1% em março, acima do consenso de 0,40%

No ano, vendas no varejo variaram 4%, ante consenso de 2,10%.



8h59 – Méliuz (CASH3) apresentou resultados ligeiramente positivos, aponta XP

Segundo analistas da casa, a companhia segue com crescimento robusto de suas operações, ao mesmo tempo que é capaz de reduzir suas despesas operacionais.  O volume bruto de mercadorias (GMV, na sigla em inglês), por exemplo, continuou crescendo, atingindo R$ 1,6 bilhão no primeiro trimestre de 2022 (alta de 66% na base anual) e o seu take rate (alíquota cobrada em cada transação na plataforma) atingiu 6,3% (alta de 0,5% na base anual).  O total de compradores cresceu 61% na base anual.

Do lado financeiro, o prejuízo líquido na ordem de R$ 6,5 milhões (78% menor que no 4T21) foi devido à ampliação de suas operações, que visa garantir que, para os analistas, crescimento.

Logo, a XP mantém visão construtiva em relação à empresa e recomendação de compra para o ativo. O preço-alvo é de R$ 8, o que configura um expressivo potencial de valorização de 397% em relação ao fechamento da véspera.



8h51 – Assaí (ASAI3) têm resultados sólidos no 1T22, levemente acima das expectativas da XP

A receita líquida cresceu 21% A/A, EBITDA ajustado +17% A/A e o lucro líquido teve uma queda de -11% frente à maiores despesas financeiras. Em relação à rentabilidade, a margem bruta ficou estável em 16% no comparativo anual e foi superior à do Atacadão (15,5%) devido à sua estratégia de precificação assertiva, enquanto a margem Ebitda apresentou uma leve queda de 0,2 p.p. e fechou o trimestre em 6,6%, explicada pela abertura de 32 lojas nos últimos 12 meses

A XP reitera recomendação de compra e o preço-alvo de R$ 22



8h44 – Assaí (ASAI3) reporta um conjunto forte de resultados, avalia BBI

A equipe de research do BBI destaca o crescimento de vendas resiliente do Assaí, com a administração observando que o crescimento das vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) acelerou ao longo do trimestre e atingiu dois dígitos para fevereiro e março juntos.

Em um ambiente macro difícil, o resultado reforça a capacidade do conceito Cash & Carry de repassar a inflação para os clientes e, no caso de Assai, isso foi alcançado com pressão mínima de margem (que está relacionada à aceleração da expansão das lojas, ao invés de pressão da inflação).

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 22 frente a cotação de segunda-feira (09) de R$ 14,76.



8h40 – Via (VIIA3) tem 1T22 sólido, com destaque para rentabilidade, diz XP

O Ebitda Ajustado da Via (VIIA3) veio 13% acima do esperado, enquanto a margem Ebitda apresentou uma melhora de 1,4 p.p a/a, afirma relatório da XP.

O lucro líquido de R$ 18 milhões também veio acima das expectativas da XP, explicado por resultados operacionais mais fortes que o esperado e subsídios fiscais, mais que compensando maiores despesas financeiras.

Quanto à rentabilidade, a taxa de comissão foi de 9,6% (+2 p.p a/a), a margem bruta se manteve estável, já a margem Ebitda foi beneficiada com maior controle de despesas de vendas, gerais e administrativas.



8h38 – Viveo (VVEO3) tem alta de 184,4% no lucro no 1T22, que vai a R$ 97 milhões no primeiro trimestre de 2022 

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 55% no 1T22, totalizando R$ 167,3 milhões. A margem Ebitda ajustada atingiu 8,8% nos três primeiros meses do ano, alta de 2,8 ponto percentual frente a margem registrada em 1T21.

A receita líquida somou R$ 1,899 bilhão entre janeiro e março deste ano, alta de 27,9% na comparação com igual etapa de 2021.



8h31 – Ata do Copom: BC destaca impacto da gasolina na inflação e debate projeções mais pessimistas do mercado



8h25 – “O remédio foi dado, mas o impacto não vem agora”, diz CEO da Porto (PSSA3) sobre queda no lucro



8h13 – Para Copom, apesar de recuperação de trabalho, indústria e comercio, há ainda riscos para o Brasil

As políticas contracionistas em países desenvolvidos e também por aqui são vistas pelos diretores do Banco Central como ameaças à recuperação brasileira.

“Diante da potencial persistência do processo inflacionário, a reprecificação da política monetária nos países avançados tem impactado as condições financeiras dos países emergentes. O Comitê discutiu também os crescentes riscos em torno de uma desaceleração global em ambiente de inflação significativamente pressionada”, traz o documento.



8h10 – Ata do Comitê de Política Monetária (Copom) afirma que inflação pode ser mais duradora do que o esperado

Para os diretores do Banco Central brasileiro, a covid-19 na China e o avanço das commodities estão atrasando a normalização dos preços, o que pode levar a inflação a ser mais duradora – com esta vindo ainda acima do esperado e também de forma disseminada.

“No cenário externo, o ambiente global seguiu se deteriorando. As pressões inflacionárias decorrentes da recuperação global após a pandemia foram exacerbadas pelo avanço nos preços de commodities”, traz o documento.



7h50 – Technos (TECN3) tem prejuízo de R$ 5,1 mi no 1º tri de 2022, alta de 26%; receita sobe 43%



7h47 – Aura Minerals (AURA33) registra alta de 168,5% no lucro no 1º trimestre, de R$ 205 milhões

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado caiu 7,2% no 1T22, totalizando R$ 48,5 milhões.

A receita líquida somou R$ 587,8 milhões entre janeiro e março deste ano, baixa de 7,4% na comparação com igual etapa de 2021.



7h45 – Criptos hoje: Bitcoin retoma US$ 31 mil após flerte com US$ 29 mil e stablecoin em espiral da mort3*; traders perdem US$ 1 bi



7h43 – Índices futuros dos EUA se recuperam de quedas da véspera

Os índices futuros dos EUA avançam após o S&P 500 cair para seu nível mais baixo em mais de um ano nessa segunda, enquanto o temor com a inflação e com a alta de juros continua a avançar.

As ações de tecnologia foram as mais impactadas. As ações da Meta e Alphabet caíram 3,7% e 2,8%, respectivamente. Já os papéis da Tesla caíram mais de 9%, em uma liquidação ditada por ações de crescimento de megacapitalização.

  • Dow Jones, + 0,80%
  • S&P 500, + 0,95%
  • Nasdaq, + 1,44%


7h40 – Europa se recupera parcialmente de quedas da véspera

Os mercados europeus operam em alta, depois de terem caído para mínimas de dois meses nessa segunda-feira (9), com a fuga em massa de ativos de risco devido a temores sobre a inflação e alta dos juros.

  • FTSE 100 (Reino Unido), + 0,60%
  • DAX (Alemanha), + 1,42%
  • CAC 40 (França), + 1,04%
  • FTSE MIB (Itália), +1,43%


7h22 – Mercados asiáticos fecham majoritariamente em baixa, mas Shanghai é exceção 

Bolsa de Hong Kong foi destaque negativo, em mais um dia de forte queda das ações de tecnologia, com temores de alta dos juros. As ações da Tencent caíram 2,30% e as da Alibaba (BABA34) recuaram 4,81%. No Japão e na Coreia do Sul a tendência foi a mesma.

  • Shanghai SE (China), +1,06%
  • Nikkei (Japão), – 0,58%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), – 1,84%
  • Kospi (Coreia do Sul), – 0,55%


Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Deixe uma resposta