Defesa Civil sobrevoa áreas de SE que margeiam Rio São Francisco

Defesa Civil sobrevoa áreas de SE que margeiam Rio São Francisco

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


(Foto: Depec)

O diretor do Departamento Estadual de Defesa e Proteção Civil (Depec), tenente-coronel Luciano Queiroz, juntamente com o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), Coronel Alexandre Alves, fizeram um sobrevoo com auxílio do Grupo Tático Aéreo (GTA) nas áreas sergipanas que margeiam o curso do Rio São Francisco, para realizar ações preventivas da Defesa Civil nos locais que serão afetados com o aumento da afluência do rio nos próximos dias.
O tenente-coronel informou que a situação ainda é completamente normal. “Atualmente, a vazão está em 1.000m3/s e aumentará gradativamente. Na próxima quarta-feira, dia 20, faremos outro sobrevoo, quando a vazão ficará em torno de 2.500m3/s. Vamos avaliar as áreas para verificar se há alguma situação de risco para as comunidades ribeirinhas”, declarou.
Durante o levantamento aéreo, observou-se que em alguns municípios existem fazendas de gado em croas e ilhotas no curso do rio. “Esses lugares são restingas que se formaram nos últimos anos à medida que o nível da água do rio foi diminuindo. Alertamos os proprietários para que retirem imediatamente esses animais e os transfiram para locais seguros, pois em poucos dias essas áreas estarão completamente submersas”, disse Luciano Queiroz.
Aumento da vazão do Rio São Francisco
Na última terça-feira, 11, o Depec recebeu um comunicado da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), que informava sobre a vazão dos reservatórios das hidrelétricas de Sobradinho e Xingó, que aumentaria a partir de quarta-feira, 12, em função do aumento em sua afluência. O aumento ocorrerá gradativamente e será de 500 metros cúbicos por segundo (m3/s) a cada 48 horas. A quantidade de água liberada começou com 1.000m3/s e atingirá o pico em 24 de janeiro, quando atingirá 4.000m3/s.
O comunicado chama a atenção para a importância da limpeza das áreas ribeirinhas ao longo da calha principal do rio, para que 13 municípios sergipanos permaneçam em alerta, a saber: Amparo do São Francisco, Brejo Grande, Canhoba, Canindé do São Francisco, Gararu, Ilha das Flores, Neópolis, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, Porto da Folha, Propriá, Santana do São Francisco e Telha.
Fonte: SES

Deixe uma resposta