Delator da Odebrecht afirma que foi pressionado para falar de Lula na Lava Jato

Lula reúne aliados para desatar nós e resistências em estados-chave



O ex-executivo da Odebrecht Alexandrino Alencar, um dos principais delatores da Operação Lava Jatorelatado em uma entrevista para o filme amigo secreto, da cineasta Maria Augusta Ramos, a pressão que ele diz ter sofrido dos promotores da força-tarefa para envolver Lula em seu acordo de colaboração. A informação foi publicada pela jornalista Mônica Bergamos na tarde deste domingo, 12, no site do jornal. Folha de S.Paulo.

Ainda segundo a publicação, o ex-presidente foi “o principal alvo” dos investigadores, que o pressionaram a chegar “ao limite da verdade” para envolver Lula em sua denúncia. “Foi uma pressão sobre nós”, diz o ex-executivo do longa. “E ficou claro que o problema era com Lula.”

O filme tem estreia marcada para esta segunda-feira, 13, e entra em circuito nacional na quinta-feira, 16.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine a nossa newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba uma newsletter matinal exclusiva

Os interrogadores, segundo ele, insistiam em perguntas sobre “o irmão do Lula, o filho do Lula, não sei o que tem o Lula, as palestras do Lula [a empreiteira contratou o ex-presidente mais de uma vez para falar em eventos]”.

O ex-presidente foi condenado em 2019 a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro por conta das reformas realizadas pela construtora no imóvel.

Dois anos depois, a justiça aboliu a punição de Lula, como resultado da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que considerou o ex-juiz Sergio Moro suspeito no caso triplex atribuído a Lula.

Deixe uma resposta