Em ato no centro de Aracaju, Sintese volta a cobrar rateio do Fundeb

Em ato no centro de Aracaju, Sintese volta a cobrar rateio do Fundeb

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


Em ato no centro de Aracaju, Sintese volta para cobrar um rateio do Fundeb (Foto: Ascom / Sintese)

Os professores que fazem parte do Sindicato da categoria em Sergipe (Sintese) se reuniram novamente em protesto na manhã desta quarta-feira, 29, no centro da capital. Na pauta do debate, os professores mais uma vez exigiram a distribuição das sobras de recursos do Fundeb. Segundo a categoria, é importante o debate com o Governo para que outros municípios também se abram ao diálogo.

“Esse debate com o Governo de Sergipe sobre o repasse de recursos é fundamental para avançarmos na questão dos municípios. Muitos prefeitos estão dizendo que não têm dinheiro, quando na verdade sobrou muito dinheiro ”, resume o vice-presidente do Sintese, Roberto Silva.

Assim, procurando um canal de diálogo e diálogo com o Governo, os representantes do Sintese esperam ser recebidos pelo Secretário de Estado da Administração (SEAD), Dernival Neto. “Vamos aguardar a recepção do secretário para que possamos discutir o repasse dos recursos da educação”, frisa.

Ainda de acordo com o vice-presidente do Sintese, em muitos municípios o debate sobre a destinação dos recursos já está avançado. “Por isso é fundamental avançar nessa questão com o Governo do Estado para que possamos avançar também nos demais municípios sergipanos. Se houver sobra de recursos, esses recursos precisam ser distribuídos para os trabalhadores da Educação ”, enfatiza.

Governo sergipano

Em nota, a Superintendência de Comunicação do Governo Sergipe afirmou que aguarda o final do ano para ter um panorama das decisões do Congresso Nacional, bem como informações concretas sobre o valor do piso nacional de ensino, e que iniciará um discussão sobre o tema.

“Sobre a carreira dos professores, a proposta já está em construção por técnicos do Governo. Os recursos da educação estão sendo aplicados na remuneração dos profissionais da educação, na estruturação de escolas, no benefício de professores e alunos e continuarão a ser em 2022. A intenção do Governo é beneficiar os profissionais da educação de forma mais ampla ”, finaliza a nota.

por João Paulo Schneider

Deixe uma resposta