Em novembro, vendas caem nos postos e crescem nos supermercados – Rede Brasil Atual #politica

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


São Paulo – De outubro a novembro, o volume de vendas no varejo teve um pequeno aumento, de 0,6%, segundo o IBGE nesta sexta-feira (14). Mas com movimentos diferentes entre os setores. As vendas de combustíveis e lubrificantes, por exemplo, caíram 1,4%, enquanto nos supermercados, que inclui a praça de alimentação, o consumo cresceu 0,9%. A movimentação também foi menor em segmentos como vestuário e móveis/eletrodomésticos. Apesar do leve aumento no mês, cinco das oito atividades tiveram resultado negativo.

Comparando novembro com o mesmo mês de 2020, as vendas caíram 4,2%, a quarta queda consecutiva. No ano e também em 12 meses, o IBGE apura crescimento de 1,9%, mas aponta para uma “redução no ritmo de vendas”.

No chamado varejo ampliado, as vendas subiram 0,5%, após três meses de retração. Este setor inclui veículos, peças e material de construção. Cai 2,9% em relação a novembro do ano anterior e cresce 5,1% no ano.

Ainda na comparação com novembro de 2020, o segmento de móveis e eletrodomésticos caiu 21,5%, com impacto de 2,8 pontos percentuais no resultado geral. Há seis meses de resultados negativos nessa base de comparação. As vendas de combustíveis e lubrificantes caíram 7,1%, enquanto hipermercados e supermercados caíram 0,5%.

O gestor do inquérito, Cristiano Santos, disse que a Black Friday foi “menos intensa” face a 2020. inflação, mas também por uma mudança no perfil de consumo, uma vez que algumas compras foram feitas em outubro ou mesmo no primeiro semestre, quando houve maior disponibilidade de crédito e o fenômeno dos descontos. Isso de alguma forma avançou a Black Friday para algumas redes ”, observou ele.

Deixe uma resposta