Delegado da Polícia Civil Marcelo Hercos é baleado em Aracaju, afirma SSP


» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.

Segundo a família, o delegado continua internado em um hospital privado da capital. Foi transferido da UTI cirúrgica para a UTI clínica e apesar de apresentar melhora significativa, o quadro é delicado e não há previsão de alta.

O crim3 aconteceu quando o delegado, que estava de folga, abordou três suspeitos na saída de uma loja de conveniência, após receber a denúncia de que estavam repassando notas falsas do local. Um deles reagiu e feriu o policial dando ré no veículo em que ele se encontrava e atirando com a arma do próprio policial.

Os três então fugiram em um veículo com placas da cidade de Salvador, que estava abandonado em um terreno próximo ao local do crim3. O carro, que foi verificado, tinha marcas de tiros e manchas de sangue.

Os dois suspeitos foram presos no dia seguinte ao crim3, na região de Robalo, na Zona de Expansão da capital. O suspeito do tiroteio fugiu e se entregou à polícia, nesta quinta-feira (23), na cidade de Salvador. Um quarto suspeito, que seria o responsável pelo aluguel do carro usado pelo trio, foi preso no dia 24, na capital baiana. Foi transferido para Sergipe no dia 27 de setembro.

O cacique Marcelo Hercos foi levado ao Huse com três tiros – um no ombro e dois na região frontal (que atingiu o duodeno e o estômago) e, após estabilizado o estado de saúde, foi autorizada a transferência, que ocorreu sem intercorrências. No dia 24 de setembro, foi transferido do Pronto Atendimento Sergipe Governador João Alves Filho (Huse) para um hospital privado

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, relatório do Instituto de Criminalística atestou que as sete notas de R $ 200 que estavam com os suspeitos eram falsas. Verificou-se também que a falsificação não era grosseira, visto que produziam vários aspectos macroscópicos das notas autênticas.

Nesta quarta-feira (6), após autorização da Justiça da Bahia, Wellington de Carvalho Bispo, autor dos tiros contra o delegado, foi transferido para Sergipe. Ele foi preso na Bahia. Foi encaminhado ao Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), onde deverá depor à Polícia Civil.

Segundo o delegado Hilton Duarte, Wellington foi indiciado pelos crimes de associação criminosa, peculato, tentativa de homicídio contra agente da segurança pública e também pelo crim3 de furto, já que em agosto havia roubado objetos de uma loja do estado. Os outros três envolvidos foram iniciados pelos crimes de peculato e associação criminosa.

Deixe uma resposta