Festival destaca painéis com personalidades sergipanas em terminal de integração em Aracaju

Festival destaca painéis com personalidades sergipanas em terminal de integração em Aracaju

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


Duas pessoas sergipanas que representam e reforçam sergipanos foram homenageadas em Aracaju. Eles contam com dois painéis, no Terminal de Integração, no bairro Atalaia, zona sul da capital. Em um está Zé Peixe e no outro Arthur Bispo do Rosário.

Arthur Bispo do Rosário, nasceu em Japaratuba, e ganhou notoriedade no mundo da arte contemporânea.

Diagnosticado com esquizofrenia-paranóide, faleceu em 1989, após produzir suas peças em um hospício do Rio de Janeiro, o que provocou uma discussão entre os limites da arte e da loucura.

O acervo sergipano foi eleito, em 2018, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural como o mais novo do novo Patrimônio Cultural do Brasil.

Zé Peixe – Foto: Ascom / Funcaju

Já José Martins Ribeiro Nunes, conhecido como ‘Zé Peixe’ ganhou destaque de outra forma. Foi guia de barcos em Aracaju e se tornou uma figura lendária no estado. Ele morr3u* em abril de 2012 aos 85 anos.

O inusitado, em sua tarefa, se deve ao fato de ter dispensado o navio de apoio para transportá-lo do navio ao porto e vice-versa. Quando havia um navio precisando entrar na barra do Rio Sergipe, ele nadou até o navio. Da mesma forma, depois de tirar o navio do porto, ele saltava e nadava de volta à praia, às vezes por quatro horas seguidas.

Além das homenagens aos dois sergipanos, há outros painéis com obras que representam a cultura do estado.

As pinturas em grafite foram produzidas durante o Festival Colora, realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju, com recursos da Lei Aldir Blanc.

Painel cultural no terminal da Zona Sul de Aracaju – Foto: Asom / Funcaju

Deixe uma resposta