Ipespe confirma liderança de Lula e chance de vitória no primeiro turno #politica

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 44% das intenções de voto para presidente na pesquisa do Ipespe divulgada nesta sexta-feira (14). Lula está a um ponto do percentual combinado dos demais adversários, mas dentro da margem de erro pode superá-los e, assim, garantir a vitória no primeiro turno das eleições, marcada para 2 de outubro. É a segunda pesquisa esta semana esta semana que aponta para a possibilidade. Na quarta-feira (12), pesquisa Grande/Quaest atribuíram 45% a Lula, contra 41% dos demais. Além disso, ontem o ex-presidente apareceu líder com 40% em um Exame/Ideia.

Jair Bolsonaro (PL) aparece com os mesmos 24% da pesquisa realizada em dezembro pelo Ipespe. Seguiram-se Sérgio Moro (Podemos), com 9% e Ciro Gomes (PDT) com 7%. Mais atrás, João Doria (PSDB) tem 2%, e Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Luiz Felipe D’Ávila (1%).

• Após vitórias na Justiça e ascensão de Lula, preferência pelo PT dispara

• ‘Direita se assusta com a força de Lula’, diz Boaventura de Souza Santos

Apesar da estabilidade nas intenções de voto para o primeiro turno, o ex-presidente registra pela primeira vez mais eleitores que dizem que definitivamente votarão nele (44%) do que eleitores que dizem que definitivamente não votarão nele (43%). O ex-presidente também avançou na simulação do segundo turno contra Jair Bolsonaro. Ele venceria por 56% a 31%, ampliando sua vantagem, que era de 22 pontos na pesquisa de dezembro, e agora passou para 25 pontos.

A avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro é vista como excelente ou boa por 24%, mas os que acham seu governo ruim ou péssimo são 54%. Aqueles que dizem que as coisas estão indo pelo caminho errado na economia são 66% (acima dos 69%). Por outro lado, o percentual dos que dizem ter muito medo do coronavírus aumentou de 28% para 35%. E de 54% para 57% a avaliação negativa do governo no combate à pandemia.

Deixe uma resposta