ITPS recebe equipamento para fiscalização de fios e cabos elétricos


» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.
A doação de um microhmímetro permitirá uma inspeção precisa dos valores de resistência de fios e cabos (Fotos: Tamiris Novaes / ITPS)

As fiscalizações de fios e cabos elétricos no comércio sergipano terão melhorias técnicas em suas operações. O Instituto de Pesquisas e Tecnologia do Estado de Sergipe (ITPS), cumpridor pela concretização de pesquisas no estado, passou a contar com um microhmímetro, equipamento utilizado para medir a resistência de fios e cabos. O aparelho é uma doação do Sindicato da Indústria dos Condutores Elétricos, Trefilados e Laminação de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo (Sindicel) ao ITPS, cuja assinatura solene aconteceu nesta terça-feira (5).

Além da doação, o Sindicel, por meio do advogado Rodrigo Carney, realizou treinamentos teóricos e práticos, para que os agentes fiscais do ITPS saibam como manusear os equipamentos. Até pois então, as inspeções eram realizadas visualmente, com base na observação da presença do selo do Instituto Nacional de Metrologia, Característica e Tecnologia (Inmetro) e nas notícias do fabricante nas embalagens do produto.

Equipamentos foram doados pelo Sindicel ao ITPS

Caso tenham resistência fora dos valores permitidos pela legislação, os fios e cabos elétricos podem causar mau funcionamento em aparelhos eletrônicos, além de aumentar a conta de energia, superaquecimento da fiação elétrica, curtos-circuitos e até incêndios. Fios e cabos estão entre os materiais mais importantes que compõem a instalação elétrica de uma propriedade. Eles são responsáveis ​​por transportar a energia do ponto de entrada até os pontos de uso, como tomadas e interruptores.

Segurança

Solenidade disse com a presença de representantes de múltiplos órgãos

Para que a instalação de fios e cabos elétricos seja segura e funcione corretamente, é significativo que suas características atendam aos requisitos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Inmetro, órgão delegado do ITPS em Sergipe . de acordo com o Sindicel, entre 256 marcas de cabos e fios presentes no Brasil, 70% têm resistência elétrica acima das especificações técnicas.

O CEO da ITPS, Kaká Andrade, destaca as práticas de irregularidades e a seriedade dos novos equipamentos. “O aparelho identifica se a quantia de cobre no fio está em verdade especificada. Essa quantia costuma ser reduzida ou os fios contêm ligas de ferro, que podem induzir incêndios e curtos-circuitos. Com este equipamento portátil, podemos fazer uma primeira avaliação e, caso seja identificada alguma alteração, levamos uma amostra para o laboratório. Verificada a irregularidade, passamos a auto de infração ”, descreve.

O administrador executivo do Sindicel, Enio Rodrigues, explica que o uso de microhmmetros contribui para ordenar as práticas de comerciantes e fabricantes. “Estamos capacitando todos os órgãos reguladores do Brasil, doando dispositivos para viabilizar verificações de segurança. É um equipamento portátil, que permite medições in loco e, em caso de irregularidade, que a apreensão seja feita no local, evitando que o comerciante volte a vender aquele produto. É um trabalho que ainda iguala a característica dos produtos com as indústrias ”, assegura.

Benefícios

Segundo a gerente executiva de Metrologia e Característica Industrial do ITPS, Maria Inêz de Almeida, o uso de microhmetros nas fiscalizações trará benefícios diretos à população. “Agora, além do trabalho de inspeção visual, faremos ainda uma inspeção técnica, com o teste de resistência do material dentro das embalagens. Isso trará maior confiabilidade ao consumidor no instante da compra do produto. Estamos treinando nossas equipes da área de característica para utilizar o aparelho, para que possam iniciar a atuar rotineiramente no varejo, distribuidor e comércio atacadista ”, assegura Maria Inez.

O bombeiro do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), capitão Valmir bonito, ainda comenta sobre o potencial do novo aparelho, desta vez no trabalho forense. “Na dinâmica do fogo, a causa não deixa dúvidas. Entretanto, no que se refere ao que causou o hot spot, esse equipamento pode ajudar muito. É um dispositivo que vai permitir saber, por exemplo, se houve sobrecarga de corrente ou uso de material de má característica ”, enfatiza.

Ainda participaram do acontecimento: o comandante da CBM / SE, coronel Alexandre José Alves Silva; o tenente do CBM / SE, José Roque; a assessora jurídica da Coordenação Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon / SE), Dayanne Viana; Delegado Fábio Luiz Silva, representante da Superintendência de PC de Sergipe; o supervisor do Departamento de Operações da Energisa, Ronnie Cesar Feitosa; e a supervisora ​​do setor de medição da Energisa, Roseane Santos.

Fonte: ASN

Deixe uma resposta