Mesmo sem incentivos à pesquisa, universidades gaúchas mostram força no Cúpula Sul – Extra Classe

Das 47 finalistas da mostra competitiva do evento, sendo que duas delas são vinculadas à Ufrgs


Foto: Rochele Zanvadalli/UFRGS

Dos 47 finalistas da mostra competitiva do evento, dois deles vinculados à Ufrgs

Foto: Rochele Zanvadalli/UFRGS

Apresentado como um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo, a edição brasileira do South Summit – que vai até esta sexta-feira, 6, em Porto Alegre – é também uma vitrine para as universidades brasileiras, assoladas pela falta de recursos para pesquisa com o desmantelamento das estruturas oficiais de financiamento pela atual administração do governo federal. Do total de finalistas, 17 startups foram geradas no Rio Grande do Sul.

Ao todo, são 47 finalistas na mostra competitiva do evento, sendo dois vinculados à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Ambas são iniciativas de ex-alunos do Instituto de Informática. A Trashin, especializada em coleta e destinação de resíduos, registrou resultados expressivos em 2021: mais de 70% das 1.300 toneladas de resíduos coletados foram reaproveitados, o que gerou uma renda superior a R$ 500 mil para as comunidades de recicladores de todo o país.

A Pix Force, por sua vez, utiliza imagens capturadas por câmeras, drones ou satélites para gerar dados, principalmente para indústrias. O sistema permite inspeções autônomas, sem presença humana, e controle de estoque digital. A empresa surgiu em 2014 nos laboratórios da Ufrgs e hoje integra mais de 50 pesquisadores nas áreas de inteligência artificial e computação.

As duas iniciativas são fruto da implantação do Parque Zenit, polo científico e tecnológico da universidade, em 2012. O reitor de Inovação e Relações Institucionais da UFRGS, Geraldo Jotz, reforçou que as ações fazem parte da “aliança para a inovação” , conjunto de medidas que envolvem outras instituições de ensino, como PUCRS e Unisinos. “Nosso papel é trabalhar em conjunto. A missão da Ufrgs é atuar pela sociedade. Queremos que todo o conhecimento científico produzido aqui se transforme em um benefício coletivo”, disse.

A Cúpula Sul, cuja primeira edição aconteceu em 2012, é realizada no Brasil, e fora de um país europeu, pela primeira vez

Foto: Alex Rocha/PMPA

A Cúpula Sul, cuja primeira edição aconteceu em 2012, é realizada no Brasil, e fora de um país europeu, pela primeira vez

Foto: Alex Rocha/PMPA

TecnoPUC

Representada pelo Parque Científico e Tecnológico, a PUCRS está presente no Cúpula Sul com um portfólio de 170 empresas e mais de 6 mil pessoas envolvidas em pesquisa e inovação. A universidade, segundo o gerente de relacionamento e negócios do TecnoPUC, Leandro Pompermaier, ajudou na organização do evento e na montagem do programa. “No nosso parque, proporcionamos um ambiente de inovação que se caracteriza por fomentar o empreendedorismo, ativar negócios, conectar-se com a academia e formar talentos preocupados em gerar impacto em nossa sociedade”, destacou.

Federal de Santa Maria

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), por sua vez, estará presente com duas startups: Get Commerce e Fox IoT, incubadas no parque tecnológico da universidade, participarão de uma conferência em busca de novas redes de networking. A Get Commerce, plataforma de sistema de gestão de lojas físicas ou indústrias para vendas online, participou no ano passado do Web Summit, realizado em Portugal, como representante do Brasil.

A empresa ganhou reconhecimento nacional ao ser eleita, em 2021, a melhor plataforma de e-commerce do Brasil pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm. O principal objetivo da startup, segundo a CEO Josele Delazeri, é a internacionalização. unicórnio”, elogiou Delazeri – o personagem mítico designa empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

A Fox IoT também é uma empresa incubada da Federal de Santa Maria que participa do evento. A empresa nasceu em 2017 e é uma startup que visa revolucionar a forma como a eletricidade é distribuída aos consumidores. Filipe Carloto, cofundador e atual diretor da Fox IoT, diz que o principal objetivo da empresa é aproximar os fundos de investimento.

Tecnosinas

O gerente executivo do Tecnosinos, parque tecnológico da Unisinos, Silvio Bitencourt da Silva, destaca que o evento será um marco na história da inovação no Rio Grande do Sul. “Tem potencial para gerar uma onda de novas oportunidades para empresas, ambientes de inovação, governos, sociedade e universidades. Queremos atrair novas empresas e criar conexões para novos negócios com empresas estabelecidas no Tecnosinos”, afirmou.

Silva destaca a experiência de “governança compartilhada” entre poder público, universidades e investidores, que, segundo ele, “demonstra a assertividade do processo de desenvolvimento de São Leopoldo também em termos de inclusão social”. O gerente informa que um dos pilares do Tecnosinos é a formação de jovens talentos, como o Programa 3.000 Talentos de TI. “É uma sinergia entre prefeitura, Unisinos e Senac para a formação de talentos em computação para o público das escolas públicas”, informou. A meta é formar 3.000 jovens estudantes até 2024.

Taxa do Techpark

A coordenadora do Feevale Techpark, Manuela Bruxel, informou também que a prioridade é promover o networking. O parque da Feevale conta com 13 empresas incubadas e outras duas em fase de desenvolvimento. A Agidesk, startup instalada no Hub One POA, unidade de Porto Alegre do Feevale Techpark, é uma das finalistas a participar da batalha de startups, evento paralelo ao South Summit. “Foram mais de mil inscrições de países como Estados Unidos, Espanha, Índia, Nigéria, Turquia, Reino Unido, Argentina e Colômbia, além do Brasil”, disse Bruxel.

A Cúpula Sul, cuja primeira edição aconteceu em 2012, acontece pela primeira vez no Brasil e fora de um país europeu. Com foco em fomentar negócios dentro do ecossistema de inovação e promover conexões entre startups, grandes empresas e fundos de investimento globais, o evento está sendo realizado no Cais Mauá. O encontro reúne mais de 300 palestrantes nacionais e internacionais em cinco palcos diferentes.

Deixe uma resposta