MPT investiga denúncias de trabalho análogo à escravidão de sergipanos no Paraná


» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.
Após a divulgação do Portal A8SE e do Assistir TV, o Ministério Público do Trabalho informou que já foi aberto procedimento para apurar possíveis casos de trabalho análogo ao de escravidão sofridos por 29 sergipanos no Paraná.

A denúncia foi feita por uma das vítimas. Sem se identificar, o menino gravou um vídeo para mostrar a situação precária que vive há cerca de 20 dias. Ele relata que a oferta de emprego garantia boas condições de moradia, salário de cinco mil reais, alimentação e a cada três meses voltavam a Aracaju para visitar familiares, o que não acontecia. O empresário que fez o convite sumiu e nem quis oferecer comida.

“Eu ia providenciar dois quartos com beliche. Íamos chegar e fazer os exames no dia seguinte e começar a trabalhar ”, conta. O trabalhador disse que gastou dois mil reais na passagem para o Paraná. “A água que bebemos é da torneira. […] aquele fogão foi doado pra gente, então eles doaram comida ”, conta ela durante o vídeo. Siga mais detalhes:

Após as denúncias, o Ministério Público do Trabalho de Sergipe abriu inquérito para apurar as práticas de recrutamento e transporte irregular de trabalhadores. O MP do estado do Pará também investiga o caso, em relação à prática análoga ao trabalho escravo.

“Coletamos esta manhã depoimentos de testemunhas e aprofundaremos a investigação nos próximos dias. Confirmada a informação inicial, o Ministério Público do Trabalho de Sergipe entrará com ação civil pública, buscando a responsabilização de todos os envolvidos”, afirma. Albérico Neves, procurador da Obra.

Para fazer uma reclamação em um caso como este, basta ligar 3226-9100. O procurador também alerta que a prática de falsas promessas de grandes oportunidades fora do estado tem se tornado cada vez mais comum, siga o video:



Deixe uma resposta