New York Times diz que militares são aliados de Bolsonaro no questionamento das eleições



Uma reportagem de um jornal americano “O jornal New York Times” publicado neste domingo afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem um novo aliado em suas questões sobre a equidade do processo eleitoral brasileiro: os militares. Segundo a publicação, que tem manchete na capa de seu site nesta segunda-feira, líderes das Forças Armadas Brasileiras “de repente” começaram a levantar dúvidas semelhantes às feitas pelo presidente brasileiro sobre a integridade das eleições, ignorando o fato de que nunca houve fraudes comprovadas em ações anteriores.

Para o jornal, as declarações do presidente, de grande parte dos eleitores de direita e de alguns líderes militares de que a eleição é passível de fraude criaram um clima de tensão no Brasil. “Faltando pouco mais de quatro meses para uma das votações mais importantes da América Latina em anos, um confronto de alto risco está se formando”, diz o texto.

Bolsonaro tem criticado o sistema eleitoral brasileiro. O presidente chegou a sugerir que, se perder a eleição de outubro, provavelmente será graças a votos roubados. O jornal americano relembrou as declarações de Bolsonaro sobre o assunto. Um deles em discurso no início deste mês em que o presidente disse que “emergiu uma nova classe de ladrão, que são aqueles que querem roubar nossa liberdade” e acrescentou que “se necessário, iremos à guerra”.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine a nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba uma newsletter matinal exclusiva

Segundo o NYT, as táticas de Bolsonaro parecem ter saído do “manual” do ex-presidente americano Donald Trump, que também alegou fraude para não admitir derrota nas eleições dos Estados Unidos em 2021. Para a publicação, a dupla Bolsonaro e Trump representa “o mais amplo revés democrático que se desenrola em todo o mundo”.

O NYT diz ainda que o motim patrocinado por Trump no Capitólio no ano passado mostrou que as transferências pacíficas de poder não são mais garantidas mesmo em democracias maduras. “No Brasil, onde as instituições democráticas são muito mais jovens, o envolvimento dos militares nas eleições gera temores”, afirma o texto.

O jornal também questiona qual será o papel dos militares se Bolsonaro decidir dar um golpe. E lembra os últimos resultados da pesquisa Datafolha, divulgadas na semana passada: Bolsonaro segue o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na preferência do eleitor, mas 24% dos entrevistados não confiam nas urnas eletrônicas no Brasil, contra 17% em março .

Outro destaque da pesquisa do jornal americano é que 55% dos entrevistados disseram acreditar que a eleição é vulnerável a fraudes. Desse total, 81% são apoiadores de Bolsonaro.

Deixe uma resposta