Para conter gastos, UFS restringe uso de ar condicionado nos campi

Para conter gastos, UFS restringe uso de ar condicionado nos campi


UFS restringe uso de equipamentos de ar condicionado como forma de conter despesas (Foto: Ascom)

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) anunciou nesta sexta-feira, 1º, que devido ao agravamento da situação orçamentária decorrente da quadra e cortes nos recursos orçamentários, estabeleceram medidas para conter os custos de energia elétrica, incluindo o desligamento de equipamentos de ar condicionado. A regra entra em vigor na próxima segunda-feira, dia 4, e valerá enquanto perdurar a situação de restrição orçamentária.

De acordo com a portaria publicada pela UFS, o uso de ar condicionado é restrito em todos os campi e unidades universitárias durante os três turnos da jornada, incluindo unidades acadêmicas e administrativas. Para minimizar os efeitos da falta de ar condicionado, conforme o documento, as janelas e portas das salas de aula, quando possível, devem ser mantidas abertas.

O documento também estabelece que em ambientes onde a climatização seja imprescindível, deve ser mantida uma comunicação oficial com a Superintendência de Infraestrutura (InfraUFS) para uso dos aparelhos. A liberação vale, por exemplo, para preservação de equipamentos em laboratórios, acervo bibliográfico, restaurantes universitários, entre outros.

Outra exceção diz respeito às unidades administrativas onde a ventilação natural não é possível, mas com horário limitado. “É terminantemente proibido o uso de equipamentos de ar condicionado entre as 17h e as 21h, pois é horário de pico, quando a tarifa de energia é cinco vezes maior do que em outros horários”, informa a portaria.

A portaria também indica o desligamento das lâmpadas após o término das aulas e a redução do número de lâmpadas acesas nos corredores didáticos, ambientes dos professores e setores administrativos como medida de conscientização e racionalização do consumo de energia.

bloqueio de orçamento

A UFS foi notificada no final de maio sobre o bloqueio de R$ 3,2 bilhões do orçamento previsto para 2022 – ou 14,5%. Embora posteriormente recomposto em metade do valor contingente, na UFS o bloco representa R$ 3,7 milhões.

Segundo a UFS, a redução do orçamento tem impacto direto na fundos do Pnaes e no funcionamento da universidade, no que diz respeito ao pagamento de contas de água e luz e contratos de terceirização.

Com informações da UFS

Deixe uma resposta