» Siga o MELHOR conteúdo do @radialistapessoa no Instagram e fique por dentro de tudo que acontece em sua cidade.

A repentina migração da força de trabalho para o home office pode ter sido a mudança mais evidente enfrentada pelo mercado devido à pandemia Covid-19, mas a transformação digital promovida pelas empresas nos últimos meses foi muito maior. Além do trabalho remoto, pelo menos outras quatro demandas passaram a ser vistas como prioritárias pela maioria das empresas ao redor do mundo: gerenciamento de novos ambientes, aprimoramento da análise de dados, garantia de sustentabilidade e redução de riscos à segurança digital.

Estas são as principais conclusões da pesquisa “Não há volta: Como a pandemia transformou o panorama digital das empresas”, realizada pelo IDG, a pedido do Google Cloud. Com base em entrevistas online direcionadas a diretores de TI, a pesquisa foi realizada em 14 países, incluindo o Brasil, e indica em quais frentes esses líderes estão investindo para acelerar os esforços de transformação digital e preparar seus negócios para o futuro.

Um cenário de transformações

Dadas as mudanças trazidas pela Covid-19, as empresas foram pressionadas a acelerar iniciativas que, de outra forma, seriam implementadas de forma progressiva.

Nesse cenário, a nuvem surgiu como uma alternativa para os líderes de TI que queriam se adaptar rapidamente e reduzir os impactos operacionais e econômicos da pandemia. Isso porque oferece a possibilidade de automação e consolidação de custos e recursos. Como resultado, mais de 80% das organizações já migraram pelo menos um aplicativo ou componente de sua infraestrutura para a nuvem, de acordo com a pesquisa.

O ponto de virada para essa transição veio quando as organizações precisaram se adaptar para oferecer suporte às novas políticas de home office. Dos 2.000 líderes de TI pesquisados, 59% disseram que aceleraram ou lançaram iniciativas para melhorar os recursos de teletrabalho e colaboração.

A migração da carga de trabalho para a nuvem foi implementada ou acelerada por 35% dos entrevistados, reduzindo custos e despesas de capital para 34%. Automatizar processos de negócios manuais ocupou os esforços de um terço das empresas, assim como a mudança para práticas de desenvolvimento de software nativas da nuvem.

Para os especialistas do setor, muito além da modernização, essas mudanças foram necessárias para garantir a sobrevivência do negócio.

“As empresas passaram por mais mudanças nos últimos meses do que nos últimos 10 anos. Houve transformações de todos os tipos. Os negócios tradicionais tornaram-se digitais, e aqueles que já eram digitais precisaram acelerar ainda mais a adoção de novas tecnologias ”, afirma Alberto Oppenheimer, chefe de soluções e especialista em vendas do Google Cloud na América Latina. “Tudo isso para poder dar continuidade ao negócio”.

Alberto destaca que o novo cenário trouxe uma série de desafios para os líderes de TI. Entre eles estão o atendimento aos consumidores em ambientes digitais (com o fechamento dos escritórios e da sede física), a postergação ou cancelamento de iniciativas de TI, a necessidade de redução de custos, o surgimento de novas demandas e a adoção de novas tecnologias para atender as equipes no contexto de teletrabalho.

Foi o que aconteceu com a fintech Bit Capital, que lançou recentemente uma solução completa para Pix e Open Banking, baseada em soluções de tecnologia em nuvem. Com suporte da equipe do Google Cloud, o serviço foi implantado em menos de três meses.

“Oferecemos software bancário modular que permite que nossos clientes criem seus próprios produtos com base em nossa infraestrutura”, explica Francesco Miolo, CFO da Bit Capital. “Com o marketplace do Google Cloud, foi possível expor nossa solução a outros parceiros”.

Juliano Souza, chefe de infraestrutura de TI da fintech, acrescenta. “O investimento em tecnologia nos permitiu escalar com rapidez e qualidade, sem exigir um número excessivo de profissionais envolvidos. A parceria foi muito eficaz e produtiva, e nos permitiu chegar ao mercado com muita agilidade ”.

Segurança e sustentabilidade

Os entrevistados na América Latina classificaram as preocupações com risco e segurança (34%), processos internos e estruturas de governança (25%) e conjunto de habilidades de TI insuficiente (24%) como os principais obstáculos à inovação.

A segurança, na verdade, é um ponto crítico para o sucesso da estratégia digital das organizações. Nesse sentido, a nuvem também se mostrou um diferencial para os líderes de TI entrevistados. Destes, 84% acreditam que a infraestrutura em nuvem é tão ou mais segura do que suas próprias instalações.

Esses dados mostram uma mudança de mentalidade dos líderes de TI, que nos primeiros dias da computação em nuvem pública se preocupavam com a segurança das cargas de trabalho e dos dados armazenados na nuvem, lembra Oppenheimer.

“A difusão dessa tecnologia trouxe a mensagem de que a nuvem é tão segura quanto as instalações on-premise, com a diferença que em ambientes de nuvem as empresas ainda contam com o suporte e consultoria de prestadores de serviços, o que acaba sendo um bônus”.

Com este suporte, o desafio da escassez de habilidades de TI também é reduzido. Processos como implementação e gerenciamento de tecnologias avançadas, que costumavam gerar um alto volume de cargas de trabalho para as equipes de tecnologia, agora são suportados por esses parceiros estratégicos.

Muitos desafios também estão fazendo com que o relacionamento entre empresas e prestadores de serviços mude. Dois terços das empresas que participaram da pesquisa afirmaram que, mais do que fornecedores de tecnologia, também veem seus prestadores de serviços como consultores estratégicos, buscando auxílio na definição dos objetivos da organização.

Outros 83% querem parceiros na nuvem que ajudem a espalhar uma cultura de inovação, e a mesma porcentagem espera ajudar a melhorar a governança operacional e a transparência.

Segundo Oppenheimer, ao buscar entender as mudanças que impactaram o mercado em 2020, o Google Cloud está se posicionando como um parceiro neste processo de transformação digital.

“Entender essas mudanças é muito importante. Essa pesquisa permite identificar os maiores desafios enfrentados pelos líderes de TI e entender como a tecnologia em nuvem pode oferecer soluções para acelerar os projetos de transformação digital de empresas impactadas por este cenário ”, afirma.

Assim, a empresa tem suporte para lidar com a migração da carga de trabalho para a nuvem, o aumento do fluxo de dados, a consequente necessidade de modernização da infraestrutura de análise e processamento de dados e a adoção de práticas e ferramentas de segurança da informação.

Quer saber mais sobre a parceria do Google Cloud com a Bit Capital? Convidamos Alberto Oppenheimer e Francesco Miolo para falar mais sobre o assunto em um podcast. Clique aqui e confira o chat.

Deixe uma resposta