Presidente do BC diz que o pico da inflação está próximo e que em 2022 a situação vai ‘melhorar’ #economia

Link do nosso grupo simhttps://chat.whatsapp.com/EYIF9MIL0C9Ksg3Ju1VBsk


O Presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta sexta-feira (26) que o pico da inflação acumulado em 12 meses está muito próximo. “Acho que em 12 meses estaremos perto do topo [da inflação] e que no próximo ano veremos melhora ”, disse em evento promovido pela Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Ele destacou que o BC calculou que o pico da inflação acumulada seria em setembro, “mas o choque de energia foi uma surpresa”, destacando, por exemplo, a alta do preço da gasolina na bomba.

Campos destacou ainda que o combate à inflação, com elevação da taxa de juros, será “relativamente não muito longo”. “Nós temos um instrumento [taxa de juros] que você pode fazer o trabalho [trazer a inflação à meta] em um horizonte relativamente não muito longo e então voltamos à normalidade. ”

Comparação com outras nações

O presidente da autoridade monetária observou que a trajetória dos preços dos serviços, excluindo o comportamento dos itens mais voláteis, “está na mediana” em relação aos demais países. “Tem subido na margem, mas estamos na mediana”, disse.

Mais de uma vez, ele lembrou também que “há inflação de energia” no Brasil. Segundo o presidente, há uma “desconexão que não víamos há muitos anos” na oferta e na demanda de energia no mundo, um desequilíbrio que parece “mais persistente”. Além de ter “implicações para o Brasil”, o país ainda é afetado negativamente pelos preços domésticos de energia, por conta da crise hídrica, segundo ele.


.

Deixe uma resposta