TSE vê publicidade antecipada e ordena a retirada de vídeo em que Lula pede votos na PI



A ministra Maria Claudia Bucchianeri, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta sexta-feira, 5, que um vídeo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pedindo votos em um evento político em Teresina, no Piauí, seja retirado das redes sociais meios de comunicação. Ela deu ao Facebook, Instagram e YouTube 24 horas para cumprir a ordem judicial.

A decisão foi tomada depois que o Partido Democrático Trabalhista (PDT) ligou para o TSE reclamando que havia propaganda antecipada. No evento, Lula pede votos para os pré-candidatos petistas ao governo do Piauí, Rafael Fonteles, e ao Senador Wellignton Dias.

“Eu gostaria de pedir a você, a cada mulher ou homem do Piauí que queira votar em mim, que queira votar em Wellington, eu gostaria de pedir a você que vote em mim no dia 2 de outubro, vote em Wellington, mas primeiro vote no Rafael, porque ele vai cuidar do povo piauiense”, falou o ex-presidente no evento “Vamos juntos pelo Brasil e Piauí”, no dia 3.

A Justiça Eleitoral tem uma posição “liberal” em relação ao que pode ser classificado como campanha extemporânea: são vetados apenas pedidos explícitos de voto, o que na avaliação do ministro ficou claro.

No atual modelo legal, o pré-candidato pode fazer muito, mas não pode pedir expressamente o voto, situação que, ao que parece, é a que é objeto dessa representação, autorizando o deferimento do pedido de liminar. liminar formulada pelo autor”, escreveu.

O ministro autorizou a campanha de Lula a republicar os vídeos do evento em Teresina, excluindo a seção embargada.

A postagem TSE vê publicidade antecipada e ordena a retirada de vídeo em que Lula pede votos na PI apareceu primeiro em Dinheiro Rural.

Deixe uma resposta